This content is not available in your region

Legislativas 2022: Mais de 285 mil eleitores votaram a uma semana das Eleições

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
euronews_icons_loading
António Costa votou no Porto e respeitou as normas de higiéne anticovid
António Costa votou no Porto e respeitou as normas de higiéne anticovid   -   Direitos de autor  AP Photo/Paulo Duarte

Cerca de 90% dos mais de 315 mil inscritos para exercer o voto antecipado ou em mobilidade cumpriram o dever no domingo, 23 de janeiro. A participação antecipada equivale a 285.848 eleitores que já concretizaram a escolha pessoal para o próximo parlamento de Portugal.

Portugal abriu uma semana antes as mesas de voto para eleger um novo Governo para o país. Em plena nova vaga de Covid-19, o voto antecipado foi uma das formas encontradas para apelar à participação em segurança nestas Legislativas.

A decisão previa evitar maiores aglomerações junto às mesas de voto na data oficial das eleições - domingo, 30 de janeiro - e permite a quem se inscreveu exercer o dever em mobilidade, isto é, fora do círculo eleitoral onde está inscrito.

O primeiro-ministro em exercício e líder do Partido Socialista foi dos primeiros candidatos a votar.

Candidato por Lisboa, António Costa exerceu o dever no Porto, na região por onde a caravana socialista se encontra em campanha, e aproveitou para sublinhar a importância de ir às urnas.

O voto é o momento mais importante numa democracia. É aquele momento único onde só os cidadãos decidem qual é o resultado das eleições
António Costa
Líder do PS e primeiro-ministro em exercício

O candidato socialista diz estar em curso o processo em que os eleitores decidem "o que é querem para o seu futuro" e em que "confiam e escolhem quem são os seus representantes".

"A participação num ato eleitoral é o ato mais importante da vitalidade democrática e queria apelar a todas e a todos os portugueses parta que exercessem esse seu dever cívico, hoje, se o puderem fazer porque se inscreveram no voto antecipado, ou daqui a uma semana como habitualmente é feito", reforçou o primeiro-ministro do executivo cessante.

Minutos antes de António Costa tinha votado também no Pavilhão Rosa Mota o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira.

Em Évora, ainda antes das 09 horas da manhã, votou o líder parlamentar do Partido Comunista, João Oliveira, que tem substituído na campanha eleitoral o secretário-geral Jerónimo de Sousa, que teve de realizar uma cirurgia e ainda está a recuperar em casa.

João Oliveira está inscrito em Setúbal e também fez questão de votar antecipadamente em mobilidade, alegando questões familiares para o fazer em Évora.

O líder do partido Livre, Rui Tavares, também se inscreveu para votar antecipadamente e cumpriu o dever ao início da tarde.

Ao todo, eram mais de 315 mil eleitores inscritos para votar este domingo e um total de 1.303 mesas de voto a funcionar por todo o país, o que representa mais 628 do que as que estiveram disponíveis há um ano nas presidenciais.

Os eleitores que se inscreveram, mas por alguma razão não conseguiram exercer o voto no domingo passado, podem votar normalmente a 30 de janeiro, num dia em que também quem estiver em isolamento devido à Covid-19, infetado ou não, pode sair de casa para votar entre as 18 e as 19 horas, mediante o cumprimento das regras de segurança decididas pela DGS, como o uso de máscara de proteção FFP2, a higienização das mãos e o distanciamento social.

Editor de vídeo • Francisco Marques

Outras fontes • Lusa