EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Presidente da Ucrânia lança apelo ao parlamento grego

Volodymyr Zelenskyy falou, esta quinta-feira, ao parlamento grego
Volodymyr Zelenskyy falou, esta quinta-feira, ao parlamento grego Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Nara Madeira com AFP, AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente ucraniano pede apoio urgente para Mariupol ao parlamento grego enquanto ucranianos fogem de Donbass temendo a destruição.

PUBLICIDADE

O Presidente ucraniano falou ao parlamento grego, esta quinta-feira. No seu discurso pediu à Grécia para "usar a sua influência", enquanto membro da União Europeia, para ajudar Mariupol, uma cidade quase totalmente destruída pelas forças russas. "Mariupol precisa de apoio urgente", incluindo ajuda humanitária, frisou Volodymyr Zelenskyy no seu apelo a Atenas para intervir em prol de uma cidade que é lar de "uma grande comunidade grega".

"As tropas russas trouxeram morte e destruição à terra onde, durante séculos, tanto ucranianos como gregos têm gozado de paz e prosperidade".
Volodymyr Zelenskyy
Presidente da Ucrânia

O chefe de Estado afirmou ainda que a Rússia iniciou "novas deportações a partir do sul da Ucrânia". Que "dezenas de milhares" de cidadãos foram levados para território do país invasor e para outros temporariamente ocupados.

O parlamento grego aplaudiu mas o chefe da Diplomacia russa não ouviu. Serguei Lavrov acusava, também esta quinta-feira, Kiev de mudar de posicionamento no caminho para a paz. Lavrov afirmava que no documento proposto pela Ucrânia, anteriormente, fica claro que "as garantias de segurança futuras (...) não se aplicam à Crimeia e a Sebastopol". No mais recente, não há referência a isso: "em vez disso, são propostas formulações vagas sobre uma espécie de "controlo efetivo" a partir de 23 de fevereiro", dizia o governante.

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo recordou que Moscovo retirou as suas tropas do norte da Ucrânia "como sinal de boa vontade". Mas, o objetivo foi reagrupar os militares na frente de Donbass, enquanto milhares de ucranianos tentam abandonar a região temendo que as suas cidades sejam, completamente, destruídas pelas forças russas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Evacuação da região de Donbass controlada pela Ucrânia prossegue sob as bombas

Encontrados 26 corpos nos escombros de dois edifícios atingidos em Borodyanka

União Europeia proíbe importação de carvão russo