EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Volodymyr Zelenskyy pede ajuda a Portugal

Volodymyr Zelenskyy é ovacionado de pé no parlamento português
Volodymyr Zelenskyy é ovacionado de pé no parlamento português Direitos de autor Extrato de imagens cedidas por RTP/EURONEWS
Direitos de autor Extrato de imagens cedidas por RTP/EURONEWS
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente ucraniano dirigiu-se por vídeo aos políticos portugueses para apelar ao apoio à Ucrânia na guerra contra a Rússia.

PUBLICIDADE

Com a Assembleia da República em apontamentos de azul e amarelo, não foram precisos 15 minutos para Volodymyr Zelenskyy dizer ao que vinha ao parlamento português.

Por videoconferência, a partir de Kiev, o presidente ucraniano dirigiu-se, esta quinta-feira, aos deputados que o quiseram ouvir para relatar o que diz ser "os horrores da ocupação russa" e pedir mais armamento, o embargo ao petróleo proveniente da Rússia e que apoiem a entrada da Ucrânia na União Europeia.

Numa intervenção especialmente dirigida ao "povo português", Zelenskyy recorreu à história de Portugal para sublinhar o que une os dois países.

"O vosso povo vai celebrar, daqui a nada, o aniversário da Revolução dos Cravos, que também vos libertou da ditadura, vocês sabem perfeitamente o que estamos a sentir. Vocês certamente sabem o que outros povos estão a sentir, especialmente na nossa região, querem ter liberdade. Vocês sabem o que traz a morte e a ditadura à Ucrânia. Depois da Ucrânia, vão tentar fazer o mesmo na Moldávia, na Geórgia, nos países bálticos, no Cazaquistão e noutros países dos quais a Rússia pode facilmente lavar as mãos. A Rússia pode ser detida. Podemos deter a ditadura russa na Ucrânia", declarou o chefe de Estado ucraniano.

O presidente da Ucrânia pediu ainda aos deputados que "lutem contra a propaganda russa" nos países africanos de língua portuguesa.

Apelos que mereceram uma ovação de pé, da esquerda à direita, exceto da bancada do Partido Comunista Português (PCP), que, por não concordar com a intervenção de Zelenskyy no parlamento, optou por estar ausente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Filósofos ucranianos lutam contra os russos

Zelenskyy reúne-se com secretário de Estado do Vaticano em Kiev e agradece apoio da Santa Sé

Jornalista russo-americana condenada a seis anos e meio de prisão