This content is not available in your region

Situação em Azovstal é "um inferno na terra"

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com AP
euronews_icons_loading
Mariupol
Mariupol   -   Direitos de autor  Francisco Seco/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved

Os militares da Ucrânia disseram hoje que as tropas russas concentraram os seus esforços em manter posições em Kharkiv e em bombardear as regiões de Donetsk e Tauride para impedir o "reagrupamento" das forças da Ucrânia. Os militares russos também estão a restringir os movimentos dos locais nas áreas ocupadas e a confiscar as suas colheitas, de acordo com o porta-voz do Estado-Maior General das Forças Armadas da Ucrânia, Oleksandr Shtupun.

O presidente da câmara de Mariupol disse que as pessoas escondidas na siderurgia Azovstal estão a ficar sem comida, água e medicamentos. Vadym Boichenko descreveu a situação na fábrica de aço como o "inferno na Terra".

O presidente ucraniano entregou medalhas de Herói da Ucrânia aos militares e aos familiares dos mortos em combate. "A Rússia esperava que não resistíssemos sequer 5 dias, mas graças aos heróis aqui presentes e graças à nossa unidade e ao desejo de viver livremente - continuamos a lutar", disse Volodymyr Zelenskyy.

Também nesta sexta-feira, o ministério da Defesa russo divulgou um vídeo que mostra um homem ferido que, segundo Moscovo, "depôs as suas armas e entregou-se aos militares russos na região de Mykolaiv", no sudoeste da Ucrânia.

O homem, que se apresentou como Andrew Hill, disse às forças russas que era de Plymouth, no sul de Inglaterra. No vídeo, perguntam a Hill: "O que gostaria de dizer a outros ingleses que decidam ir para a Ucrânia?". Ele responde: 'Eles precisam de pensar no assunto. Isto não nos envolve".