EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Atentado mortífero em bar LGBT de Oslo

Polícias no local do atentado
Polícias no local do atentado Direitos de autor Javad M. Parsa/NTB
Direitos de autor Javad M. Parsa/NTB
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Tiroteio que originou a morte de duas pessoas aconteceu na véspera da "parada Pride", entretanto cancelada.

PUBLICIDADE

Um homem de 42 anos foi já formalmente acusado de terrorismo, homicídio e tentativa de homicídio na sequência tiroteio num bar em Oslo, na Noruega, fez pelo menos dois mortos e 21 feridos. As testemunhas dizem que o atirador entrou no bar, frequentado pela comunidade LGBT, e começou a disparar indiscriminadamente sobre os clientes, naquilo que se acredita ter sido um crime de natureza homofóbica, a um dia da "parada Pride", prevista para este sábado. 

**Tore Barstad,**chefe operacional da polícia norueguesa, diz que "tanto quanto é possível saber até agora, o atirador agiu sozinho". A polícia deteve o suspeito e apreendeu também a arma do crime. "Os sobreviventes agiram com muita celeridade ao ajudar a deter o suspeito e nos primeiros socorros dados aos feridos", acrescentou Barstad.

Dos feridos, há pelo menos 14 a receber tratamento, dos quais oito foram hospitalizados. A polícia vai agora investigar a motivação do atirador e a possível relação com os festejos do "orgulho LGBT" que foram, entretanto, inteiramente cancelados, incluindo a parada, a conselho da polícia. 

 Além do bar, o atirador terá alvejado pessoas num clube de jazz e num restaurante de comida rápida no mesmo bairro. O primeiro-ministro Jonas Gahr Stoere classificou o crime como um "terrível e chocante ataque contra pessoas inocentes".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Justiça europeia diz "não" a caso de bolo de casamento com slogan gay

Países preparam-se para a guerra? Noruega vai investir mais 52 mil milhões na Defesa até 2036

Anders Breivik perde processo contra Estado norueguês e continuará em confinamento solitário