Governo britânico promete medidas para ajudar as famílias

Porto de Felixstowe, em Inglaterra.
Porto de Felixstowe, em Inglaterra. Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Posicionamento acontece após trabalhadores do maior porto de contentores do país terem entrado em greve.

PUBLICIDADE

No Reino Unido, o ministro dos Negócios e da Energia, Kwasi Kwarteng, anunciou que o próximo primeiro-ministro do país irá ajudar as famílias a enfrentar o aumento dos preços, sem contudo anunciar medidas concretas.

Esta declaração surge após cerca de 2 mil trabalhadores do maior porto de contentores do país, o Felixstowe, terem dado início a uma greve de 8 dias.

Miles Hubbard, membro de um sindicato britânico, explicou que a contestação no país é generalizada. "Não tem nada a ver com uma estratégia nacional ou algo do género. É algo que aconteceu aqui a nível local e reflete o que está a acontecer noutros lugares porque as pessoas em todo o país, penso eu, estão a sentir o mesmo", defendeu.

"É por isso que parece ser coordenado porque as pessoas em todo o lado estão a sentir o mesmo e a chegar à mesma conclusão. Já chega, já não vamos aguentar mais isto", acrescentou.

Os trabalhadores deste porto, que movimenta cerca de 4 milhões de contentores por ano, provenientes de cerca de 2 mil navios, reinvindicam melhores condições salariais, numa altura em que se assiste a uma inflação crescente no Reino Unido.

Por sua vez, Paul Davey, porta-voz do porto de Felixstowe, pronunciou-se relativamente ao protesto e disse concordar que os trabalhadores "merecem um dia de pagamento justo por um dia de trabalho justo" e considerou que é isso que acontece no momento presente.

Esta greve no porto de Felixstowe, a primeira desde 1989, junta-se a uma série de protestos dos trabalhadores ferroviários que tiveram lugar nos últimos dias no país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Trabalhadores portuários do Reino Unido em greve

Manifestação de polícias junta 20 mil pessoas no Porto

Conselho de Segurança da ONU aprova resolução para pôr fim a ataques no Mar Vermelho