This content is not available in your region

Greve da Portway deixa passageiros à beira de um ataque de nervos

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Greve dos trabalhadores da Portway afetou sobretudo passageiros da EasyJet
Greve dos trabalhadores da Portway afetou sobretudo passageiros da EasyJet   -   Direitos de autor  AP Photo/Armando França/Arquivo

Dezenas de voos cancelados e o desespero entre os passageiros. Foi assim esta sexta-feira nos aeroportos de Lisboa, Porto, Faro e Madeira.

O arranque da greve dos trabalhadores da empresa de assistência em terra Portway trocou as voltas a passageiros como Francisco Costa.

Contava viajar para Bordeaux com a companhia aérea de baixo custo Easyjet, uma das mais afetadas, mas não conseguiu.

"Não sei o que posso fazer. Ainda por cima tinha de estar [em Bordeaux] no dia 2 [de setembro] e, se eu quiser outro voo, não o consigo porque [o preço] está a subir para 500, 600, 1000, 1200 euros. Um voo que eu tenho de pagar? É impossível", lamentou Francisco.

Não foi caso único. Para agravar as coisas, a greve de três dias deverá prolongar-se até às 24:00 de domingo.

A greve foi convocada pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil.

Os trabalhadores da Portway denunciam a política de recursos humanos da empresa, detida pelo grupo francês Vinci. Denunciam, entre outras coisas, desvalorização profissional dos trabalhadores e falta de atualizações salariais.

O sindicato falava, esta sexta-feira, numa adesão de cerca de 90% em Lisboa, 85% no Porto, entre 60% e 70% no Funchal e entre 40% e 50% em Faro.

A Portway, por outro lado, falou numa adesão inferior aos 10%.