This content is not available in your region

Brasil prepara urnas de voto eletrónicas para eleições

Access to the comments Comentários
De  Luis Guita  & Euronews
euronews_icons_loading
urnas de voto elet´rónicas
urnas de voto elet´rónicas   -   Direitos de autor  AFP

O Brasil usa urnas de voto eletrónicas desde 1996 mas só recentemente se tornaram controversas. O Presidente Jair Bolsonaro alega que são flageladas por fraudes.

Contudo, Bolsonaro tem fornecido poucas provas e os procuradores investigam o Presidente sob a acusação de divulgar desinformação sobre o sistema de votação.

Bolsonaro ameaçou repetidamente não reconhecer o resultado das eleições se o sistema não fosse alterado e está a pressionar para que se faça uma impressão em papel de cada voto.

As autoridades eleitorais dizem que isso só iria introduzir uma via para a fraude e reafirmam a segurança das urnas eletrónicas.

"Este momento é muito importante para a justiça eleitoral porque nós estamos preparando estas urnas para o dia das eleições. Após a instalação da mídia, nós colocaremos um lacre em cada uma, e esse lacre é assinado pelo juiz da zona eleitoral. Esse lacre vai constatar a integridade, a segurança, a confiabilidade da urna eletrónica," afirmou o Presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRF-DF), Roberval Belinati.

De recordar que o software de contagem de votos é atualizado para cada eleição. Os partidos políticos, o poder judicial e os militares são autorizados a inspecionar o código fonte. São também realizados testes de segurança nos quais peritos em TI tentam entrar no sistema. As máquinas não estão ligadas à Internet. Quando a votação fecha, os trabalhadores das mesas de voto retiram o cartão de memória de cada urna de voto e enviam-no para o escritório local da autoridade eleitoral, que, por sua vez, envia a informação para o sistema central de contagem em Brasília através de uma rede independente.