Macron: "Cabe à Ucrânia decidir quando a paz é possível"

Encontro internacional pela paz decorre até terça-feira em Roma
Encontro internacional pela paz decorre até terça-feira em Roma Direitos de autor Alessandra Tarantino/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Alessandra Tarantino/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A paz não pode ser "capturada pelo poder russo" é a mensagem dos presidentes francês e italiano na abertura de um encontro internacional pela paz organizado pela comunidade católica de Santo Egídio, em Roma.

PUBLICIDADE

A paz não pode ser "capturada pelo poder russo" é a mensagem dos presidentes francês e italiano na abertura de um encontro internacional pela paz organizado pela comunidade católica de Santo Egídio, em Roma.

Macron promete manter as negociações abertas com a Rússia, mas diz que cabe à Ucrânia decidir quando a paz é possível.

"Há uma perspetiva de paz e, nalgum momento, ela chegará. E nalgum momento, dependendo de como as coisas se desenvolverem e quando o povo ucraniano e os seus líderes chegarem a uma decisão, nos seus próprios termos, a paz será encontrada com os inimigos de hoje, à volta de uma mesa, e a comunidade nacional estará lá", afirmou o presidente francês Emmanuel Macron. 

"A ameaça que enfrentamos e devemos enfrentar leva alguns a levantar o espetro de recorrer a armas nucleares. Diante da evocação de cenários tão terríveis, as nossas consciências invocam a defesa daquele direito à paz que nos une aqui hoje", disse o presidente italiano. 

O presidente francês foi recebido, esta segunda-feira, pelo Papa Francisco, no Vaticano. Foram abordados temas como a guerra na Ucrânia e a instabilidade na Europa.

Será o Papa Francisco a fechar o encontro internacional "O grito da paz", que termina amanhã no Coliseu.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Macron critica protecionismo americano

Aniversário do Armistício de 1918 assinalado em todo o mundo

Ataques russos deixam Ucrânia às escuras