EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Portugal avalia prejuízos do mau tempo que só em Oeiras podem chegar aos €14 milhões

Funcionários municipais limpam rua de Algés afetada pelas cheias desta semana
Funcionários municipais limpam rua de Algés afetada pelas cheias desta semana Direitos de autor AP Photo/Armando França
Direitos de autor AP Photo/Armando França
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente da Câmara de Oeiras estima que só naquele município português, a fatura pode chegar aos 14 milhões de euros. Na Alemanha, houve mais de 150 voos cancelados

PUBLICIDADE

Os prejuízos provocados pelo mau tempo das duas últimas semanas em Portugal podem chegar aos 14 milhões de euros só no concelho de Oeiras, estimou o presidente da autarquia. Isaltino Morais, durante a visita a Algés da ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva.

Oeiras foi um dos concelhos mais afetados pelas fortes chuvas, sobretudo nas zonas mais próximas do Rio Tejo, como é o caso da União de Freguesias Algés-Linda-a-Velha e Cruz Quebrada-Dafundo.

Isaltino Morais tinha calculado um prejuízo de 3,7 milhões de euros para as famílias e comerciantes do concelho após a intempérie da semana passada, mas a enxurrada desta terça-feira agravou essa estimativa para cerca de cinco milhões de euros.

O balanço de prejuízos é agravado ainda pelos danos nas diversas infraestruturas  municipais, que o líder da autarquia de Oeiras avalia em cerca de 8 milhões de euros. "Só a recuperação de um muro que abateu no Dafundo vai custar entre 1,5 e 2 milhões de euros", afirmou Ialtino Morais, citado pelo jornal Público.

A Proteção Civil registou quase oito mil ocorrências em Portugal desde a semana passada, incluindo 4.841 inundações e mais de mil operações de limpeza de vias de circulação.

Pelo menos 88 pessoas ficaram desalojadas, pelo menos temporariamente, há registo da queda de mais 960 árvores, 573 estruturas e 527 deslizamentos de terras, revelou esta quinta-feira de manhã José Costa, da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

O cálculo dos prejuízos continua um pouco por todo o país. em Lisboa, o presidente da Câmara já prometeu três milhões de euros para ajudar as vítimas do mau tempo, mas, assegura Carlos moedas, este não é um valor fechado, admitindo que esse valor pode aumentar dependendo do levantamento dos prejuízos em curso.

"Aquilo que disse era que conseguia já esta disponibilidade financeira [três milhões de euros], mas depois podemos conseguir mais, obviamente, segundo aquilo que for a análise e a quantificação de todas estas perdas, e é isso que estamos a fazer. Depois o Governo terá que contribuir muito mais, obviamente, mas não é um valor fechado, é um valor aberto", afirmou o presidente da Câmara de Lisboa, citado pela Agência Lusa.

Espanha

A aparente chegada antecipada do inverno aconteceu em força por toda a Península Ibérica. Em Cáceres, no centro de Espanha, a 100 quilómetros da serra portuguesa do Marvão, ocorreram fortes cheias, provocando a derrocada de algumas estradas, incluindo a N-523, que liga aquela cidade a Badajoz.

Tal como em Portugal, as fortes tempestades provocaram inundações, derrocadas e muitos prejuízos em diversas regiões de Espanha. Os serviços meteorológicos espanhóis alertam: o mau tempo vai manter-se pelo menos até sexta-feira, com maior incidência no norte da Península Ibérica.

Alemanha

Na Alemanha, mais de 150 voos foram cancelados no aeroporto de Munique e diversas ligações ferroviárias tiveram de ser suspensas na quarta-feira devido a chuva e ao gelo.

As partidas e chegadas no aeroporto bávaro foram retomadas, mas as perturbações mantinham-se esta quinta-feira de manhã, assim como nas estradas da Baviera.

Suécia

Na Suécia, os termómetros desceram esta semana até aos 11 graus negativos em Estocolmo e aos -12 em Boras, perto de Gotemburgo. A imprensa local está a classificar quarta-feira como o dia mais frio do ano.

A neve na Suécia é normal nesta altura do ano, mas não o frio tão intenso, o que alguns especialistas estão a relacionar com um fenómeno apelidado de "bloqueio da Gronelândia", que se terá desviado e provocado uma ligeira subida da temperatura habitual naquele território autónomo da Dinamarca, ao mesmo tempo permitindo a descida de ventos árticos sobre o norte da Europa.

O mercúrio deve subir, no entanto, um pouco nos próximos dias, estima o serviço meteorológico sueco.

Estados Unidos

Do outro lado do Atlântico, o Luisiana, no sul dos Estados Unidos, foi varrido por uma vaga de tornados. Pelo menos três pessoas morreram.

No norte, o Minnesota está sob alerta até sexta-feira devido à previsão de neve, gelo e granizo. Em algumas zonas daquele estado norte-americano, a neve já acumulou cerca de 60 centímetros.

Outras fontes • Lusa, Público, Göteborgs-Posten, Süddeutsche Zeitung, el Periódico

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Frio e neve atingem Europa carregados pela depressão "Fein"

Situação mais calma no Porto

Mau tempo gera perturbações na Europa