EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Zelenskyy visita Estados Unidos na primeira viagem internacional após a invasão

Zelenskyy com Joe Biden  na Casa Branca em setembro de 2021
Zelenskyy com Joe Biden na Casa Branca em setembro de 2021 Direitos de autor AP Photo/Evan Vucci/Arquivo
Direitos de autor AP Photo/Evan Vucci/Arquivo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

CCasa Branca e Presidente da Ucrânia confirmam deslocação, que deverá incluir uma reunião com o homólogo Joe Biden e um discurso de viva voz no Congresso norte-americano

PUBLICIDADE

O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy é esperado esta quarta-feira em Washington para uma reunião com o homólogo Joe Biden e um discurso no Congresso norte-americano. 

O encontro foi confirmado pela Casa Branca e por Kiev, numa publicação feita pelo próprio Volodymyr Zelenskyy.

A deslocação aos EUA será a primeira viagem conhecida ao estrangeiro de Volodymyr Zelenskyy desde a invasão russa, a 24 de fevereiro, e acontece a poucos dias de se completarem 10 meses desde a ordem dada por Vladimir Putin para a ofensiva militar na Ucrânia.

A viagem marca também o regresso de Zelenskyy à Casa Branca depois da visita realizada em setembro de 2021.

Numa declaração proferida terça-feira à noite, a secretária de imprensa da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, disse que Biden aguarda com expectativa a visita e que o discurso no Congresso demonstrará "o apoio forte e bipartidário à Ucrânia".

"A visita sublinhará o empenho firme dos Estados Unidos em apoiar a Ucrânia pelo tempo que for necessário, incluindo através da prestação de assistência económica, humanitária e militar", disse a porta-voz.

As autoridades norte-americanas e ucranianas deixaram claro que não preveem uma resolução iminente para a guerra e estão a preparar-se para continuar a lutar durante algum tempo.

Biden repetiu que enquanto os Estados Unidos armarem e treinarem a Ucrânia, as forças americanas não estarão diretamente envolvidas no conflito.

A visita acontece numa altura em que o presidente da Ucrânia reforça os pedidos de ajuda militar ao ocidente e Washington tenta aprovar um novo pacote de apoio militar a Kiev no valor de 1,8 milhões de dólares.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Somos capazes de derrotar a Rússia", diz conselheiro ucraniano

Zelenskyy desafia Rússia e atribui medalhas em Bakhmut

Últimos ataques impediram entrega de armas estrangeiras diz Moscovo