EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Greve de revisores da SNCF estraga planos de Natal em França

Em Paris, a greve dos revisores deixou muitos passageiros desesperados
Em Paris, a greve dos revisores deixou muitos passageiros desesperados Direitos de autor AP Photo/Rafael Yaghobzadeh
Direitos de autor AP Photo/Rafael Yaghobzadeh
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Muitos passageiros foram obrigados a procurar alternativas e há a ameaça de que tudo volte a repetir-se por altura das comemorações do Ano Novo

PUBLICIDADE

Um presente de Natal envenenado para milhões de passageiros. Em França, a greve dos revisores da empresa nacional de caminhos-de-ferro SNCF, que exigem mais meios, está a afetar a circulação ferroviária.

A paralisação estragou os planos de muitas famílias para o fim de semana, que agora têm de procurar alternativas.

Está prevista, apenas, a circulação de três em cada cinco comboios durante o fim de semana.

"Não serei afetada, mas os meus filhos sim, porque têm de deixar a Normandia no domingo. A viagem de comboio será, claro está, cancelada. Não é que esteja contra a greve, consigo perceber os motivos, mas não na altura do Natal. Está errado", lamentou Sophie Corneville, passageira.

Já Benoit Morin, comerciante, acrescentou: "se não fizessem a greve agora, quando é que iriam fazer? Quando ninguém viaja? Se assim fosse, não se falava sobre o assunto. Infelizmente as greves afetam sempre quem trabalha : greves de transportes, de postos de abastecimento de combustíveis. É o que é."

Para o governo esta não é a altura certa para fazer greve. "Este não é o momento de fazer greve, no fim de semana de Natal. Por isso, pedimos a todos que sejam razoáveis, para que possamos manter esta magia que os franceses realmente precisam, especialmente depois dos anos que vivemos, que foram complicados para todos", sublinhou Olivier Véran, porta-voz do governo francês.

O executivo apela à resolução rápida do braço-de-ferro e está previsto um encontro entre a direção da SNCF e as organizações sindicais para esta sexta-feira.

Mas há o risco de que as paralisações voltem a repetir-se já no Ano Novo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Macron pede que antissemitismo seja discutido nas escolas após violação de uma jovem judia

Líder da extrema-direita opõe-se ao envio de tropas francesas para a Ucrânia

Francês detido no Irão por participar em protestos após a morte de Mahsa Amini foi libertado