EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Desertor do grupo Wagner disposto a contar segredos da invasão russa na Ucrânia

Grupo Wagner foi fundado por Yevgeny Prigozhin
Grupo Wagner foi fundado por Yevgeny Prigozhin Direitos de autor AP
Direitos de autor AP
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Andrei Medvedev, que fugiu da Rússia para a Noruega, foi alegadamente comandante do grupo paramilitar russo

PUBLICIDADE

Um alegado comandante do grupo paramilitar privado russo Wagner, a atuar a Ucrânia e noutros teatros de guerra, fugiu para a Noruega, onde está disposto a falar e contar o que sabe sobre crimes de guerra cometidos pelos russos.

As autoridades norueguesas confirmam ter detido Andrei Medvedev depois de atravessar a fronteira entre a Rússia e a Noruega, no norte da Península Escandinava. Medvedev foi depois levado para Oslo. Sabe-se que pretende pedir asilo.

O advogado que o representa diz que a Noruega não concede asilo político a criminosos de guerra e o caso dele terá de ser muito bem escrutinado.

Medvedev quer contar pormenores sobre as atividades do grupo Wagner na Ucrânia, nomeadamente maus-tratos e execuções sumárias de prisioneiros russos obrigados a combater. Diz ainda ter vários segredos a respeito do fundador do grupo, Yevgeny Prigozhin, considerado uma figura próxima de Vladimir Putin.

Prigozhin confirmou que Medvedev trabalhou para o Wagner e diz que tem dupla nacionalidade russa e norueguesa. Medvedev era procurado desde julho, altura em que deixou o grupo de mercenários, descontente com a situação. O Wagner está presente não só na Ucrânia, como em várias partes do mundo, nomeadamente em África.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mais de 7 mil civis mortos na guerra da Ucrânia

Países preparam-se para a guerra? Noruega vai investir mais 52 mil milhões na Defesa até 2036

Anders Breivik perde processo contra Estado norueguês e continuará em confinamento solitário