EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Benjamin Netanyahu facilita porte de armas em Israel

Governo de Benjamin Netanyahu à saída de reunião ministerial, este domingo, 29 de janeiro, em Israel
Governo de Benjamin Netanyahu à saída de reunião ministerial, este domingo, 29 de janeiro, em Israel Direitos de autor Ronen Zvulun/AMIR COHEN
Direitos de autor Ronen Zvulun/AMIR COHEN
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Governo israelita anunciou várias medidas de segurança, em resposta aos ataques realizados por palestinianos em Jerusalém, este fim de semana.

PUBLICIDADE

A resposta de Benjamin Netanyahu aos recentes ataques contra judeus em Jerusalém era esperada e chegou este domingo. O comité de segurança liderado pelo primeiro-ministro anunciou novas medidas e, face à violência no país, promete agora facilitar o uso de armas aos israelitas.

A repressão da revolta palestiniana contra os raides militares israelitas, começou já a fazer-se sentir com mais força nos territórios palestinianos, depois de, este sábado, as forças israelitas terem selado a casa do homem responsável pelo ataque de sexta-feira para posteriormente ser demolida.

Os colonatos na Cisjordânia vão também ser alvo de segurança reforçada. Já os direitos de residência dos familiares de palestinianos que realizem ataques passam a ser revogados.

As medidas, diz Netanyahu, visam uma redução da violência e foram precipitadas pelos ataques ocorridos este fim de semana. Na sexta-feira, um palestiniano matou sete pessoas e feriu outras 10 à saída de uma sinagoga. No sábado, foi a vez de um adolescente abrir fogo e ferir duas pessoas.

Majdi Mohammed/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Corpo de Yusef Muhaisen é carregado, durante o seu funeral, após ter sido morto durante confrontos com tropas israelitas, na CinjordâniaMajdi Mohammed/Copyright 2023 The AP. All rights reserved

As mortes de israelitas foram amplamente celebradas na Cisjordânia ocupada, onde os residentes de origem palestiniana manifestaram a revolta contra a ocupação do território e os raides militares israelitas, que dias antes tinham também sido responsáveis por várias vítimas mortais.

A escalada de violência representa agora um desafio acrescido a Antony Blinken. O secretário de estado norte-americano vai estar esta semana numa visita oficial a Jerusalém e Ramallah numa tentativa de aliviar o conflito israelo-palestiniano.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Supremo Tribunal de Israel chumba reforma judicial de Netanyahu

Incursão militar israelita na Cisjordânia causa mortos

Primeiro-ministro israelita dissolve gabinete de guerra