Canadá envia primeiro tanque Leopard 2 para a Ucrânia

Avião da Força Aérea canadiana saiu de Halifax
Avião da Força Aérea canadiana saiu de Halifax Direitos de autor screenshot - EV
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Portugal também confirmou o apoio militar à Ucrânia com o envio de tanques de guerra Leopard 2

PUBLICIDADE

Com uma mega operação de logística em curso, o Ocidente começou a enviar armas e material militar para a Ucrânia.

Do Canadá saiu, este sábado, um avião da Força Aérea com o primeiro tanque Leopard 2 a bordo.

O aparelho "descolou de Halifax", confirmou a ministra canadiana da Defesa, Anita Anand, através da rede social Twitter.

"O Canadá está solidário com a Ucrânia e continuaremos a fornecer às Forças Armadas ucranianas o equipamento de que precisam para vencer", acrescentou a ministra.

Os EUA, por outro lado, prometeram o envio de mísseis guiados e de defesas antiaéreas, enquanto FrançaItália enviarão, na primavera, o sistema de defesa antiaérea de longo alcance SAMP/T - MAMBA.

Na madrugada deste sábado, o primeiro-ministro português, António Costa, também confirmou que Portugal vai ceder às Forças Armadas ucranianas tanques Leopard 2, acrescentando que está em curso uma operação logística com a Alemanha para recuperar alguns carros de combate.

"Estamos neste momento a trabalhar para podermos ter condições de dispensar alguns dos nossos tanques. Sei quantos tanques serão [enviados para a Ucrânia], mas isso será anunciado no momento próprio", disse o líder do executivo à agência Lusa no final de uma visita que efetuou à missão militar portuguesa na República Centro Africana.

Acrescentou que "o movimento que está em curso na Europa é no sentido de poder ter o conjunto desses meios disponibilizados até ao final de março."

EUA: "luz verde" para uso de dinheiro russo apreendido

Entretanto, o procurador-geral dos EUA, Merrick Garland, anunciou a autorização o uso de fundos e ativos russos confiscados para ajudar a Ucrânia.

O anúncio foi feito durante um encontro com o procurador-geral da Ucrânia, Andriy Kostin, em Washington.

De acordo com Garlando dinheiro vem de ativos apreendidos ao oligarca russo Konstantin Malofeyev, que foi indiciado em abril por não cumprir sanções.

Andriy Kostin diz que este passo permitirá o uso dos 5,4 milhões de dólares dos bens confiscados para "reconstruir a Ucrânia."

No terreno, a guerra continua com avanços de ambos os lados do conflito no leste da Ucrânia, com fogo de artilharia em Donetsk e Lugansk.

Kiev suspeita que a Rússia está a preparar uma ofensiva de larga escala que pode atingir a capital.

Para asfixiar a capacidade de a Rússia financiar a guerra entra, este domingo, em vigor um acordo dos 27 Estados-membros da União Europeia para fixar limites aos preços dos produtos petrolíferos russos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucrânia critica "relutância" do Ocidente na entrega de equipamento militar

Um morto e doze feridos em ataque russo a Poltava na Ucrânia

Kremlin diz que ataque à central nuclear de Zaporíjia é "provocação perigosa" da Ucrânia