EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Capitais europeias assinalam aniversário da guerra na Ucrânia

Manifestação em Berlim no primeiro aniversário da invasão russa da Ucrânia
Manifestação em Berlim no primeiro aniversário da invasão russa da Ucrânia Direitos de autor Markus Schreiber/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Markus Schreiber/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

De Londres a Lisboa, passando por Berlim, multiplicaram-se as manifestações contra a invasão russa e homenagens às vítimas do conflito

PUBLICIDADE

De Londres a Lisboa, passando por Berlim, as capitais europeias foram palco de manifestações e homenagens por ocasião do primeiro aniversário da guerra na Ucrânia.

Na capital alemã, um tanque russo fortemente danificado em território ucraniano foi colocado, como um memorial, em frente à embaixada da Rússia.

Enno Lenze, diretor do museu Berlin Story Bunker e um dos responsáveis pela instalação, explica:

"Quero mostrar ao povo da Alemanha como a guerra é brutal e vergonhosa, sem mostrar imagens chocantes ou cadáveres, porque isso não transmite nada. As pessoas simplesmente desviam o olhar. Mas com este tanque, como as pessoas pensam que os tanques são invencíveis, vê-lo destruído mostra que não é invencível e que a guerra nunca é uma boa ideia. Por isso, não comecem uma."

Na Geórgia, vizinha da Rússia, cidadãos e ativistas também assinalaram a data. Num discurso na capital, Tbilissi, a presidente Salomé Zourabichvili reafirmou a unidade entre georgianos e ucranianos.

Em Londres, o primeiro-ministro Rishi Sunak e a esposa, acompanhados pelo embaixador ucraniano, respeitaram um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do conflito.

Portugal também demonstrou solidariedade com a Ucrânia, nomeadamente através do edifício do Parlamento, em Lisboa, iluminado com as cores da bandeira ucraniana.

No interior do Parlamento, também foi observado um minuto de silêncio.

O presidente francês, Emmanuel Macron, transmitiu no Twitter uma mensagem de solidariedade com a Ucrânia e, em Paris, a torre Eiffel também foi iluminada com as cortes ucranianas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Manifestações por toda a Europa contra a guerra na Ucrânia

G7 reafirma apoio à Ucrânia

Primeiro-ministro britânico apresenta manifesto eleitoral dos conservadores