EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Senado francês aprova reforma do sistema de pensões

Iniciativa do presidente Emmanuel Macron esbarra na contestação popular e dos sindicatos
Iniciativa do presidente Emmanuel Macron esbarra na contestação popular e dos sindicatos Direitos de autor Stephane Mahe/AP
Direitos de autor Stephane Mahe/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Projeto-lei prevê aumento da idade de reforma dos 62 para os 64 anos

PUBLICIDADE

A Assembleia Nacional ainda tem de dar "luz verde" ao projeto-lei, mas no que depende do Senado (câmara alta) francês, a idade de reforma pode passar dos 62 para os 64 anos.

Com maioria de direita, a câmara alta do Parlamento adotou, esta quinta-feira, um texto de compromisso que ratifica o aumento.

"Os resultados da votação são: 344 votantes, 307 votos, 193 a favor e 114 contra. O Senado adotou a reforma", anunciou Gérard Larcher, presidente do Senado francês.

A iniciativa deverá esbarrar na resistência da Assembleia Nacional, esta tarde.

Na câmara baixa do Parlamento, há uma forte oposição da extrema-esquerda e da extrema-direita.

O governo depende em grande parte do centro-direita para vencer o braço-de-ferro.

"Estamos determinados a criar esta maioria e em fazê-la ouvir-se para que haja uma maioria se votarem os parlamentares que querem equilibrar o sistema e melhorá-lo", sublinhou Olivier Dussopt, ministro do Trabalho de França.

Do lado de fora do Parlamento, sente-se a pressão dos sindicatos e dos manifestantes.

Se os planos do presidente Emmanuel Macron falharem, ainda pode recorrer a um mecanismo de exceção da Constituição.

Permite a aprovação do texto sem votação parlamentar, mas também pode agravar ainda mais a revolta popular.

Tudo indica que Macron vai recorrer a essa medida.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Extrema-direita regressa ao Senado de França

Macron desloca-se à Nova Caledónia para tentar pôr termo à violência no arquipélago

Polícia francesa mata homem que tentava incendiar sinagoga em Rouen