Monges ortodoxos desafiam governo da Ucrânia e recusam-se a abandonar mosteiro

Mosteiro de Kiev-Petchersk, Ucrânia
Mosteiro de Kiev-Petchersk, Ucrânia   -  Direitos de autor  Efrem Lukatsky/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews

Governo de Volodymyr Zelenskyy deu até esta quarta-feira para os clérigos abandonarem as instalações, que pertencem ao Estado ucraniano.

Os monges ortodoxos do principal mosteiro ortodoxo de Kiev recusam-se a sair das instalações, apesar de o contrato de arrendamento ter chegado ao fim. O governo ucraniano tinha dado até esta quarta-feira, 29 de março, para os clérigos abandonarem o local, sob suspeita de manterem laços com Moscovo.

O mosteiro esteve vinculado à Igreja Ortodoxa russa e tem um papel fundamental na história da ortodoxia ucraniana e russa. Mas a acusação é negada pelos resligiosos, que garantem ter cortado relações com o patriarcado russo, após a invasão da Ucrânia.

O mosteiro, um edifício do século XI com vista para o rio Dnipro e Património Mundial da Unesco, é propriedade do Estado ucraniano. A decisão do governo surgiu após uma comissão ter descoberto múltiplas violações do contrato de arrendamento.

Notícias relacionadas

Hot Topic

Saiba mais sobre

Guerra na Ucrânia