Kiev e Moscovo trocam prisioneiros na Páscoa Ortodoxa

Segundo o conselheiro presidencial ucraniano Andriy Yermak, estão incluídos soldados capturados na zona de Bakhmut
Segundo o conselheiro presidencial ucraniano Andriy Yermak, estão incluídos soldados capturados na zona de Bakhmut Direitos de autor LIBKOS/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor LIBKOS/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Cerca de 130 prisioneiros ucranianos terão regressado a casa, enquanto se fala em "batalha sem precedentes" em Bakhmut

PUBLICIDADE

Enquanto Moscovo divulga imagens dos alegados avanços do grupo Wagner em Bakhmut, responsáveis de Kiev anunciam que cerca de 130 prisioneiros de guerra ucranianos foram libertados numa troca acordada com a Rússia, por altura da Páscoa Ortodoxa.

Segundo o conselheiro presidencial ucraniano Andriy Yermak, estão incluídos soldados capturados na zona de Bakhmut, onde mesmo assim se fala numa "batalha sem precedentes"

Noutros pontos do país, salienta-se o ataque a Sloviansk, onde se contam 13 mortos e o bombardeamento de uma igreja perto de Zaporíjia.

Na capital russa, Vladimir Putin recebeu o ministro da Defesa da China, Li Shangfu, após os sucessivos apelos, o mais recente dos quais da Alemanha, para que Pequim ajude a pôr um ponto final neste conflito. 

No mês passado, a China apresentou um plano de paz que, entre outros, não previa a retirada das tropas russas da Ucrânia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Força aérea ucraniana à espera do sistema de defesa Patriot

Finlândia começa construção de cerca na fronteira com a Rússia

Ucrânia aposta na indústria de defesa nacional enquanto aguarda por mais munições dos aliados