Espanha: Restos mortais de Primo de Rivera trasladados para o cemitério de San Isidro

Os restos mortais de Primo de Rivera são transladados para o cemitério de San Isidro, em Madrid
Os restos mortais de Primo de Rivera são transladados para o cemitério de San Isidro, em Madrid Direitos de autor Web
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

É mais uma ação no âmbito da chamada Lei da Memória Democrática: Os restos mortais de Primo de Rivera foram trasladados para o cemitério de San Isidro

PUBLICIDADE

Na aplicação da espanhola  Lei da Memória Democrática, os restos mortais de José Antonio Primo de Rivera, foram exumados esta segunda-feira do Vale de Cuelgamuros, antigo Vale dos Caídos, e transferidos para o cemitério de San Isidro, em Madrid.

Cerca de 200 falangistas juntaram-se no Cemitério de San Isidro, em Madrid, tendo havido momentos de tensão com a polícia.

A pedido da família, a exumação acontece no centésimo vigésimo aniversário do nascimento do fundador do Falange, o partido de inspiração fascista nascido nos anos 30 do século passado.

A vice-presidente do governo espanhol, Yolanda Díaz, afirmou que o executivo está a cumprir a lei e a "resolver uma anomalia histórica".

Os trabalhos de extração começaram logo pela manhã, à porta fechada, na basílica, onde não houve particular ajuntamento de pessoas. Apenas alguns falangistas esperaram a chegada do caixão ao cemitério de San Isidro.

Este será o quarto enterro de Primo de Rivera, preso em março de 1936, julgado por associação ilícita e alvejado aos 33 anos, em Alicante, onde se encontrava quando eclodiu a revolta militar que deu início à Guerra Civil.

Em 1939 os seus restos mortais foram transferidos para o mosteiro de San Lorenzo de El Escorial, o túmulo da realeza e, em 1959, para o Vale de Cuelgamuros, de onde sairam agora para o cemitério de San Isidro.

O cemitério de San Isidro, em Madrid, situa-se na margem direita do rio Manzanares, entre as pontes de Segóvia e Toledo. Durante o século XIX, tornou-se o cemitério da nobreza e o lugar preferido da aristocracia, dos políticos, da grande burguesia e dos artistas. Aqui estão enterradas muitas personalidades espanholas, como o filósofo e ensaísta José Ortega y Gasset. Pela beleza dos seus jardins e esculturas, faz parte do património cultural de Madrid.

Em outubro de 2019, os restos mortais de Francisco Franco foram exumados também do Vale dos Caídos e levados para o cemitério de Mingorrubio-El Pardo. Após a transferência dos restos mortais de Franco e Primo de Rivera, continua pendente a exumação de 118 vítimas republicanas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Vítimas do franquismo esperançadas na Lei da Memória Democrática

Espanha cria "Lei da Memória Democrática"

Incêndio em prédio de 14 andares em Valência faz pelo menos quatro mortos