Tsikhanouskaya: "Lukashenko deve ser alvo de um mandado de captura do TPI"

Sviatlana Tsikhanouskaya
Sviatlana Tsikhanouskaya Direitos de autor Alessandro della Valle/Keystone via AP
De  Ricardo FigueiraHéloïse Urvoy
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Em entrevista à Euronews em antevisão da conferência GLOBESEC em Bratislava, a líder da oposição bielorrussa pede ações mais concretas contra o regime de Alexander Lukashenko.

PUBLICIDADE

A líder da oposição bielorrussa, Sviatlana Tsikhanouskaya, está a participar na conferência do GLOBESEC em Bratislava, na Eslováquia, e tem uma mensagem para os líderes que está a encontrar: É preciso não esmorecer as sanções à Bielorrússia e ao regime de Alexander Lukashenko, numa altura em que a União Europeia decidiu prolongar, por mais um ano, as sanções contra Minsk.

O**GLOBESEC** é um think tank internacional dedicado à Europa Central e Oriental, que organiza o Fórum de Bratislava entre 29 e 31 de maio, onde estarão presentes líderes mundiais como Emmanuel Macron ou Ursula von der Leyen.

A Bielorrússia faz parte da crise, mas também pode fazer parte da resolução do problema."
Sviatlana Tsikhanouskaya
Líder da oposição bielorrussa

Em entrevista à Euronews, em antevisão da conferência, Tsikhanouskaya disse: "A Bielorrússia é extremamente importante para a segurança regional. Uma Bielorrússia livre e independente não é apenas algo importante para o povo bielorrusso, mas para toda a região. O destino da Bielorrússia e o destino da Ucrânia estão interligados. A Bielorrússia faz parte da crise, mas também pode fazer parte da resolução do problema."

Sanções devem prosseguir

Moscovo interveio para ajudar o aliado em 2020, depois de a Bielorrússia ter sido atingida por sanções económicas por reprimir protestos pró-democracia. Quando a Rússia invadiu a Ucrânia, dois anos depois, o regime de Lukashenko retribuiu o favor, como lembra Pavel Slunkin, analista político no Conselho Europeu de Relações Externas:

"As tropas russas entraram no território da Bielorrússia para tentar capturar Kiev. Têm bombardeado cidades ucranianas no norte do país a partir de território bielorrusso e têm utilizado instalações industriais bielorrussas para produzir armamento para a Rússia. Têm utilizado infraestruturas bielorrussas, como as ferroviárias, para abastecimento", diz o especialista.

Enquanto alguns relatórios sugerem que a União Europeia está a considerar aliviar as sanções sobre as exportações de potassa bielorrussa, um fertilizante que constitui uma grande parte das receitas do país, Tsikhanouskaya apela à utilização de todos os instrumentos legais disponíveis para ajudar a restaurar a democracia:

Lukashenko é cúmplice de Putin, é um criminoso e tem de assumir toda a responsabilidade por isso".
Sviatlana Tsikhanouskaya
Líder da oposição bielorrussa

"O Tribunal Penal Internacional deve emitir um mandado de captura contra Lukashenko, tal como foi feito com Putin", diz. "A União Europeia deve considerar a possibilidade de aplicar (novas) sanções contra o regime de Lukashenko. Compreendo que o regime esteja a tentar esconder os seus crimes. Mas devemos lembrar a todo o momento, em todo o lado, que ele é cúmplice de Putin, que é um criminoso e que tem de assumir toda a responsabilidade por isso".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Bielorrússia: Jornalista consenado a 8 anos de prisão por oposição a Lukashenkod

Putin e os planos de enviar armas nucleares para a Bielorrússia

Rússia e Bielorrússia fora dos Jogos Europeus, Ásia pisca o olho