Ucrânia diz que Rússia deportou à força ou raptou cerca de 19.500 crianças

Crian;as ucranianas
Crian;as ucranianas Direitos de autor Hanna Arhirova/Copyright 2020 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Hanna Arhirova/Copyright 2020 The AP. All rights reserved
De  Luis GuitaEuronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

19,500 é o número aproximado de crianças que a Ucrânia diz que a Rússia deportou à força ou raptou desde o início da invasão em grande escala.

PUBLICIDADE

As autoridades ucranianas suspeitam que milhares de crianças ucranianas foram enviadas para campos de reeducação russos, onde receberam treino militar e novas identidades antes de serem adotadas por famílias russas.

Várias organizações humanitárias estão a trabalhar arduamente para trazer as crianças desaparecidas para casa.

Até à data, a ONG Save Ukraine ajudou a resgatar 118 crianças desaparecidas.

 "Prestamos todo o apoio jurídico, ajuda psicológica, se necessário, e ajuda financeira. Pensamos no percurso e fazemos alguns preparativos com o nosso pessoal, com os nossos parceiros," explica a assessora de imprensa da ONG Save Ukraine, Olga Yerokhina.

75% dos pais dizem que os filhos estão a sofrer traumas psicológicos

Kiev também abriu centros encarregados de fazer regressar as crianças à Ucrânia, mas para os poucos felizardos que conseguem regressar, isso é apenas o começo.

A ONU estima que 3,5 milhões de crianças na Ucrânia têm necessidades de nível grave a catastrófico, enquanto 75% dos pais dizem que os filhos estão a sofrer traumas psicológicos.

"Esta é uma das situações mais sensíveis para as famílias. Por vezes, depois de recuperarem os filhos, nem sequer querem falar sobre o assunto porque receiam que algo mais possa vir a seguir. Por isso, concentramo-nos naquilo a que chamamos reintegração, que é tentar ver onde as crianças estiveram, pelo que passaram e como fazer com que isso simplesmente desapareça," esclarece o Diretor de Campanhas, Comunicação e Media da Save the Children na Ucrânia, Ajman Yamin.

Save the Children e UNICEF prestam serviços essenciais aos ucranianos

Para fazer face aos efeitos da guerra, a Save the Children e a UNICEF prestam apoio à saúde física e mental, aulas digitais e à distância para crianças, aconselhamento financeiro, aconselhamento parental e outros serviços essenciais.

"Uma das coisas mais importantes, no que diz respeito à UNICEF, é garantir que, onde quer que as crianças estejam, independentemente das circunstâncias, as crianças tenham a oportunidade de aceder à aprendizagem, quer seja num ambiente escolar formal ou via internet," afirma o responsável da UNICEF, Damian Rance.

Mas a recuperação e reconstrução não acontecem de um dia para o outro

"A recuperação e a reconstrução não são apenas uma questão de infraestruturas, mas também de reconstrução da comunidade e da sociedade ucraniana, de modo a que esta seja centrada nas crianças, que coloque as crianças e as suas necessidades no centro. E isso requer, obviamente, recursos significativos para o fazer," acrescenta Damian Rance.

Segunda parte

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Artilharia russa bombardeia Kherson e provoca várias vítimas mortais

Biden promete que pacote de ajuda militar e financeira à Ucrânia chegará "rapidamente"

Como os drones "kamikaze" Shahed do Irão estão a ser utilizados na Ucrânia