EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Rússia leva a julgamento antigos membros do batalhão Azov

Cidade ucraniana de Kramatorsk
Cidade ucraniana de Kramatorsk Direitos de autor AP/Ukrainian Donetsk Regional Administration
Direitos de autor AP/Ukrainian Donetsk Regional Administration
De  Luis GuitaEuronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Rússia leva a julgamento militares ucranianos capturados, são antigos membros do batalhão Azov que Moscovo considera como grupo terrorista. Kiev reivindica novos avanços na contraofensiva. Diretor da AIEA visita central nuclear de Zaporíjia.

PUBLICIDADE

Mais de 20 soldados ucranianos capturados foram a julgamento no sul da Rússia.

Eram membros do batalhão Azov, uma unidade de elite das forças armadas ucranianas que combateu as tropas russas no porto de Mariupol, no Mar de Azov.

A Rússia capturou Mariupol no ano passado, após uma batalha de três meses que reduziu a maior parte da cidade a ruínas.

Moscovo considera o batalhão Azov um grupo terrorista.

Na Ucrânia, os ataques de mísseis russos atingiram zonas residenciais no sul e no leste do país.

Em Kramatorsk, uma enorme cratera foi deixada após a demolição de algumas casas. A Rússia afirma que os seus alvos são militares e armazéns.

Kiev reivindicou novos avanços na contraofensiva, embora autoridades ocidentais afirmem que a Rússia está a infligir baixas substanciais.

A viagem adiada do diretor da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), Rafael Grossi,à central nuclear de Zaporíjia deverá agora realizar-se.

Será a primeira deslocação de Grossi a Zaporíjia desde a rutura da barragem de Kakhovka. A central está situada a montante da barragem e retira a água de arrefecimento do reservatório formado pela barragem.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rússia perdoa criminosos que combateram na Ucrânia

Ucrânia afirma estar a avançar na contraofensiva e Putin diz que está a destruir arsenal ucraniano

Putin admite falta de equipamento e de preparação face a ataques ucranianos