EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Hajj: milhões de muçulmanos em Meca para a grande peregrinação

Peregrinos muçulmanos à volta da Kaaba, o edifício cúbico no centro da Grande Mesquita, durante a peregrinação anual Hajj em Meca, na Arábia Saudita, esta segunda-feira.
Peregrinos muçulmanos à volta da Kaaba, o edifício cúbico no centro da Grande Mesquita, durante a peregrinação anual Hajj em Meca, na Arábia Saudita, esta segunda-feira. Direitos de autor Amr Nabil/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Amr Nabil/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

É um dos maiores encontros religiosos do mundo. Todos os mulçulmanos devem realizar o Hajj pelo menos uma vez na vida.

PUBLICIDADE

Cerca de dois milhões de muçulmanos estão em Meca, na Arábia Saudita, para a peregrinação anual Hajj.

Trata-se de um dos maiores encontros religiosos do mundo e regressou este ano à sua capacidade máxima, pela primeira vez desde o início da pandemia da COVID-19.

O Hajj dura cinco dias. Começa com o ritual do “tawaf”, com os peregrinos a dar voltas ao redor da Caaba, uma grande estrutura cúbica no centro da Grande Mesquita.

Depois, os peregrinos seguem para colinas e vales em Meca para os restantes rituais.

O Hajj é um dos cinco pilares do Islão e todos os muçulmanos que tenham recursos para tal devem participar pelo menos uma vez na vida na peregrinação.

Além de ser um ato de fé, é um colossal desafio organizacional para as autoridades sauditas.

Este é o primeiro ano sem as restrições impostas pela pandemia e são esperadas mais pessoas de mais de 160 países.

Muitos chegam exaustos debaixo temperaturas de até 40 graus Celsius. O governo montou 32 hospitais e 140 centros de saúde e quase 200.000 tendas para fiéis.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Muçulmanos celebram início do Ramadão na Cidade Velha de Jerusalém

Protestos muçulmanos depois da queima de exemplar do corão na Suécia

Sem véu xadrezistas iranianas desafiam governo islâmico