Primeiro-ministro polaco alerta para proximidade de mercenários do Grupo Wagner

Soldados bielorrussos e combatentes mercenários da empresa militar privada Wagner participaram num exercício conjunto junto à fronteira com a Polónia
Soldados bielorrussos e combatentes mercenários da empresa militar privada Wagner participaram num exercício conjunto junto à fronteira com a Polónia Direitos de autor Ministério bielorrusso da Defesa via AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Mateusz Morawiecki diz que um grupo de cem homens está na cidade bielorrussa de Grodno, perto da fronteira com a Polónia, e que o perigo está à espreita.

PUBLICIDADE

O perigo está à espreita e a "situação cada vez mais perigosa."

O alerta é do primeiro-ministro polaco, Mateusz Morawiecki, que diz que uma centena de homens do grupo de mercenários Wagner estão perto da fronteira de Grodno, na Bielorrússia, a pouco mais de 20 quilómetros de distância da fronteira com a Polónia.

Morawiecki manifestou-se durante uma visita a uma fábrica em Gliwice, onde estão a ser reparados tanques Leopard usados pela Ucrânia.

"Certamente, este é um passo para um ataque híbrido em território polaco. Provavelmente estarão disfarçados de guardas de fronteira bielorrussos e ajudarão imigrantes ilegais a entrar na Polónia para desestabilizar o país."

O primeiro-ministro polaco defende que é melhor prevenir do que remediar perante o cenário de perigo próximo.

Estima-se que estejam na Bielorrússia mais de cinco mil homens do grupo paramilitar Wagner.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Milhares de polacos marcharam contra o aborto em Varsóvia

Polónia: eleições locais mostram que conservadores continuam a ser força política de peso

Eleições locais na Polónia testam Governo de Tusk há menos de quatro meses no poder