EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Zelenskyy condena "abusos" de altas patentes militares ucranianas

Zelenskyy reafirma progressos no terreno e condena a corrupção no meio militar
Zelenskyy reafirma progressos no terreno e condena a corrupção no meio militar Direitos de autor Jae C. Hong/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Jae C. Hong/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews com AP
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente ucraniano diz que serão tomadas medidas contra os "muitos abusos" nos centros de recrutamento militar, revelados por uma auditoria.

PUBLICIDADE

O presidente Volodymyr Zelenskyy dirigiu-se por vídeo à nação, esta quinta-feira, para reafirmar o progresso das tropas ucranianas na frente de batalha.

O chefe de Estado aproveitou ainda a mensagem para manifestar indignação face à corrupção revelada por uma auditoria aos centros de recrutamento militar ucranianos.

"Hoje ouvimos relatos do chefe do Serviço de Segurança da Ucrânia, Malyuk, e do Ministro dos Assuntos Internos, Klymenko. Uma das questões foi a investigação aos comissários militares  A inspeção revela muitos abusos. Abusos francamente repugnantes. Todos os factos revelados pelos agentes da autoridade serão apresentados ao público e investigados no âmbito de um processo penal".

A auditoria às altas patentes militares ucranianas foi realizada após a detençâo de Yevgeny Borisov, antigo responsável pela mobilização militar em Odessa, que foi detido por suspeitas de enriquecimento ilícito. Meios de comunicação social ucranianos revelaram que o militar terá comprado uma propriedade milionária em Espanha

O combate à corrupção tem sido uma das bandeiras de Kiev, que até agora viu neste tipo de criminalidade um dos maiores entraves à integração na União Europeia.

Igreja histórica em Kherson atingida por bombardeamentos russos

Um bombardeamento russo danificou uma igreja histórica na cidade ucraniana de Kherson, na quinta-feira.

Os serviços de emergência ucranianos informaram que quatro dos seus efetivos ficaram feridos numa segunda ronda de bombardeamentos, enquanto combatiam um incêndio na Catedral de Santa Catarina.

Outras quatro pessoas ficaram feridas no primeiro ataque à cidade, que também atingiu um autocarro, informou o gabinete do procurador-geral.

Até ao ano passado, a igreja guardava os restos mortais do Príncipe Grigory Potemkin, um comandante militar russo do século XVIII que encorajou Catarina, a Grande, a expandir o Império Russo para o que é atualmente o sul da Ucrânia.

É um dos edifícios mais notáveis da cidade, datado de 1781.

Um ataque com mísseis danificou gravemente uma catedral ortodoxa muito apreciada em Odessa, outra cidade do sul da Ucrânia.

Ambos os ataques sublinharam ainda mais o risco da guerra para os monumentos culturais do país.

Potemkin era o governador-geral da chamada "Nova Rússia". O seu nome entrou no discurso popular devido a histórias, agora amplamente contestadas, de que ergueu povoações falsas chamadas "aldeias Potemkin" para impressionar Catarina durante a sua longa viagem pela Crimeia e pelos territórios do sul.

Em setembro, numa cerimónia no Kremlin que assinalou a anexação ilegal pela Rússia de quatro províncias ucranianas ocupadas ou parcialmente ocupadas, o Presidente Vladimir Putin referiu-se ao conceito de Nova Rússia e observou que tanto Catarina como Potemkin tinham fundado cidades nessa região.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rússia bombardeia cidades no ocidente da Ucrânia

Zelenskyy celebra Dia da Força Aérea com apelo à ajuda internacional

Ataques da Rússia e da Ucrânia matam civis