EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Quais são os países europeus que comem mais gelados?

ARQUIVO: Clientes saboreiam cones à porta da gelataria Giolitti, em Roma, em 2010.
ARQUIVO: Clientes saboreiam cones à porta da gelataria Giolitti, em Roma, em 2010. Direitos de autor Alessandra Tarantino/AP2010
Direitos de autor Alessandra Tarantino/AP2010
De  Sudesh Baniya
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

O consumo de gelados na Europa aumentou, mas quais são os países onde mais se consomem?

PUBLICIDADE

Enquanto a Europa continua a sofrer com as vagas de calor no verão, a produção e o consumo de gelados no continente estão a aumentar, de acordo com os dados mais recentes.

Os Estados-membros da União Europeia produziram 3,2 mil milhões de litros de gelado em 2022, totalizando mais de 6 mil milhões de euros em valor, de acordo com o Eurostat. Este valor representa um aumento de 5% em relação a 2021.

Durante o mesmo período, cerca de 250 milhões de quilos de gelado foram exportados para fora da UE, uma diminuição de 2% em comparação com os números anteriormente disponíveis.

A diminuição dos valores de exportação, apesar do aumento da produção, indica que os europeus estão a recorrer aos gelados para combater o calor.

Para além dos verões mais quentes, os números refletem o gosto dos europeus por sobremesas congeladas, com alguns relatos a afirmarem que o primeiro gelado com base de leite foi criado em Itália.

O crescimento do consumo de gelados também corresponde à rápida urbanização do continente e às melhorias na tecnologia dos laticínios, de acordo com a empresa de estudos de mercado Research and Markets.

Alemanha, o maior produtor

A Alemanha produziu 620 milhões de litros de gelado em 2022, representando quase um quinto da produção anual total e superando os números de 2021 de 614 milhões de litros.

Os países do sul da Europa, França e Itália, aparecem a seguir, com 591 e 571 milhões de litros de produção, respetivamente.

O gelado alemão foi o mais barato, com um custo médio de 1,5 euros por litro, seguido do francês e do italiano.

A Áustria, que produziu cerca de dois milhões de litros de gelado, tinha o gelado mais caro do continente, com um preço de 7 euros por litro, mais de quatro vezes superior ao dos seus vizinhos alemães.

França: o peso pesado da exportação

Em 2022, os países da UE exportaram 250 milhões de quilos de gelado para países não europeus e importaram 61 milhões de quilos.

A França liderou as exportações com 53 milhões de quilos exportados para fora da UE, à frente dos Países Baixos, Itália, Alemanha e Bélgica.

O mercado de comércio de gelados de França foi de longe o maior, seguido da Irlanda e da Alemanha.

Quais são os países que consomem mais gelado?

Os belgas compram mais de 16 quilos de gelado per capita, o maior consumo do continente, de acordo com os dados de 2020.

Apenas Portugal e a Polónia se aproximam das vendas de gelado per capita da Bélgica, com 14,18 e 13,6 quilos, respetivamente.

Os países nórdicos também construíram uma reputação de serem os maiores apreciadores de gelado ao longo do tempo, com a Suécia, a Dinamarca, a Noruega e a Finlândia entre os maiores compradores per capita.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Gelado belga destrona os italianos no Dia Europeu do Gelado Artesanal

Paris 2024: previsões do quadro de medalhas, factos, programa do dia de abertura e quais os recordes que poderão ser batidos

"Muro da Trégua" na Aldeia Olímpica apela à paz no mundo