EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Venda de combustível com prejuízo provoca tensão entre Governo francês e revendedores

Placard de posto de abastecimento de  combustíveis
Placard de posto de abastecimento de combustíveis Direitos de autor Daniel Cole/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Daniel Cole/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

França está com a inflacção a disparar. Governo diz que vai dar luz verde à venda de combustíveis com prejuízo. Grandes revendedores entraram em rota de colisão com o executivo, dizem que não vão vender com prejuízo.

PUBLICIDADE

Tensão em França entre o Governo e a indústria de combustíveis.

As grandes marcas de revenda estão em rota de colisão com o Executivo após este dizer que vai dar luz verde à venda de gasolina com prejuízo.

A revenda com prejuízo é proibida por lei, mas o governo tem fortes razões para levantar a restrição: a inflação está a disparar (4,9% em Agosto, 6,8% na energia). Além disso...

"Ouvimos regularmente gestores de retalho dizerem que por vezes são prejudicados pelas normas, que por vezes o governo os impede de fazer mais pelos consumidores. Estamos a ouvir esta mensagem. Estamos a propor o levantamento de um certo número de restrições por um determinado período de seis meses, pelo que propomos a quem o desejar, sem qualquer obrigação, participar neste esforço coletivo," anunciou o porta-voz do governo francês, Olivier Veran.

As grandes marcas de revenda francesas, cujos gestores já se reuniram diversas vezes com o ministro da Economia, já anunciaram que não vão vender com prejuízo.

O mesmo aconteceu com a petrolífera TotalEnergies.

A nova lei deverá entrar em vigor em dezembro.

Historicamente, a França não foi a única na Europa a proibir este tipo de vendas: com algumas exceções, também não foi permitido em Espanha, Bélgica ou Itália. Do lado oposto estavam a Alemanha, a Áustria e os países nórdicos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Milhares na rua pelo fim do financiamento dos combustíveis fósseis

G20 lança aliança global para biocombustíveis mais ecológicos

Municípios na Suécia unem-se contra os combustíveis fósseis