EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Rússia divulga imagens de reunião com Almirante dado como morto por Kiev

Imagens de Viktor Sololov a participar numa reunião do conselho de administração do ministério por videoconferência
Imagens de Viktor Sololov a participar numa reunião do conselho de administração do ministério por videoconferência Direitos de autor Planet Labs PBC via AP
Direitos de autor Planet Labs PBC via AP
De  euronews com Lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A agência russa TASS noticiou que o Ministério da Defesa divulgou imagens de Sololov a participar hoje numa reunião do conselho de administração do ministério por videoconferência.

PUBLICIDADE

Depois de ter sido dado como morto pelas autoridades ucranianas, o Ministério da Defesa russo partilhou fotografias e um vídeo que mostram o Almirante Viktor Sokolov , comandante da Frota do Mar Negro da Rússia, numa reunião com Sergey Shoigu e outros militares de topo.

De qualquer forma, não é possível garantir que as imagens tenham sido registadas nas últimas Não é claro quando é que o vídeo foi publicado.

“Não existe qualquer informação sobre este assunto por parte do Ministério da Defesa", disse também o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, aos jornalistas.

A Ucrânia reivindicou na segunda-feira a morte do vice-almirante Viktor Sokolov e de outros oficiais num ataque na sexta-feira contra o quartel-general da Frota do Mar Negro em Sebastopol, na Crimeia, anexada pela Rússia em 2014. Neste ataque morreram 34 pessoas. 

As Forças de Operações Especiais da Ucrânia dizem agora que estão a verificar as informações sobre as vítimas, ,incluindo militares e o Almirante Sokolov.

O ataque ao coração simbólico da frota russa do Mar Negro constitui um rude golpe para Moscovo, que tem sofrido uma série de ataques a este porto de importância estratégica nos últimos meses

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rússia condena jornalista a oito anos e meio de prisão

Ucrânia volta a atacar Sebastopol

Ucrânia reivindica ataque à Crimeia