EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Exército ucraniano promete "boas notícias" vindas da linha da frente

Sasha Vakulina, jornalista da euronews
Sasha Vakulina, jornalista da euronews Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Estado-Maior ucraniano informou que as forças de Kiev fizeram progressos nas operações ofensivas na região de Melitopol.

PUBLICIDADE

O general Oleksandr Tarnavsky, que lidera a contraofensiva ucraniana ao longo da linha da frente a sul, prometeu "boas notícias" da frente.

Mas o que está a acontecer lá?

O Instituto para o Estudo da Guerra (ISW) afirma que a situação tática em Verbove continua pouco clara, uma vez que as forças ucranianas prosseguiram as operações ofensivas na região ocidental de Zaporíjia.

O Estado-Maior ucraniano informou que as forças ucranianas prosseguem as operações ofensivas na direção de Melitopol.

Um blogger militar próximo do Kremlin afirmou que as forças ucranianas chegaram à periferia norte de Novoprokopivka, 13 km a sul de Orikhiv.

Fontes russas ainda não responderam a esta informação nem a uma outra, de uma fonte ligada às Forças Aerotransportadas Russas, de que as tropas ucranianas controlam metade de Verbove, 18 km a sudeste de Orikhiv.

A ISW diz que, para já, não tem provas desse avanço ucraniano.

Em vez disso, o grupo de reflexão afirma que elementos da 42ª Divisão de Rifles Motorizados estão a contra-atacar cada vez mais na área de Novoprokopivka, sugerindo que as operações podem ter degradado elementos da elite aerotransportada russa.

Os elementos da 42ª Divisão de Rifles Motorizados terão também sido destacados até Tokmak, a cerca de 20 km de Novoprokopivka, o que pode indicar que o comando russo não tem estado a equipar  a defesa multi-células no sul da Ucrânia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucrânia “está mais perto da NATO do que nunca”

Zaporíjia volta a ser alvo de ataques aéreos russos

Ataque a Zaporíjia faz baixas civis entre civis ucranianos