EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Robert Fico, o candidato a Primeiro-ministro eslovaco que quer acabar com o apoio a Kiev

Arquivo: Robert Fico, candidado a Primeiro-ministro eslovaco
Arquivo: Robert Fico, candidado a Primeiro-ministro eslovaco Direitos de autor Petr David Josek/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Petr David Josek/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Eslováquia vai a votos a 30 de setembro e Robert Fico, do partido de esquerda Smer, está em primeiro lugar nas sondagens.

PUBLICIDADE

Robert Fico é a figura mais importante da política eslovaca do século XXI. Fico, de 59 anos, tem um doutoramento em Direito, mas desde muito jovem que ambicionava tornar-se político e aderiu ao Partido Comunista da Checoslováquia em 1986. Vinte anos mais tarde, foi eleito primeiro-ministro pela primeira vez como líder do seu próprio partido de esquerda, o SMER.

Líder pragmático e populista, perdeu as eleições de 2010 devido a um escândalo, mas regressou ao cargo de primeiro-ministro em 2012 e venceu novamente quatro anos mais tarde. No entanto, demitiu-se após o assassínio do jornalista Ján Kuciak em 2018, uma vez que foi amplamente responsabilizado pela ascensão dos oligarcas no país.

Chegou mesmo a falar-se que iria a julgamento, mas ele não desistiu. Em 2023, voltará a liderar o partido mais poderoso da Eslováquia. Foi ajudado pelo fracasso dos partidos no poder, mas não só. Enquanto a elite política favorece claramente a Ucrânia e o Ocidente, Fico optou por representar muitos pró-russos, que são um pouco cépticos em relação à UE e aos EUA.

Fico, que se comprometeu a pôr termo ao envio de armas da Eslováquia para o seu vizinho de Leste e que assumiu uma posição mais pró-russa do que a maioria dos seus aliados ocidentais no conflito, lidera as sondagens de opinião antes da votação de 30 de setembro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Chéquia termina controlos na fronteira com a Eslováquia

Governo da Eslováquia perde confiança do parlamento

"Eu perdoo-o": Robert Fico diz que não sente "nenhum ódio" pelo seu agressor