EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Ucrânia reivindica ataque contra defesas russas na Crimeia

Míssil ATACMS a ser disparado
Míssil ATACMS a ser disparado Direitos de autor John Hamilton/AP
Direitos de autor John Hamilton/AP
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

No ataque contra as defesas antiaéreas russas, a Ucrânia diz ter usado dois mísseis ATACMS de fabrico norte-americano.

PUBLICIDADE

A Ucrânia diz ter atacado um sistema de defesa antiaérea da Rússia na Crimeia, na noite de domingo. Segundo o comunicado das forças armadas ucranianas, foram usados dois mísseis militares táticos de fabrico norte-americano, conhecidos pela sigla ATACMS.

A Rússia não comentou este ataque, mas o canal do Telegram Rybar, considerado próximo das forças russas, falou de um ataque concertado de Kiev na Crimeia, anexada pela Rússia desde 2014.

O ministro russo da defesa, Serguei Shoygu, esteve presente num fórum militar na China e acusou os Estados Unidos de estarem a alimentar as tensões geopolíticas: "Ao ter provocado uma crise aguda na Europa, o Ocidente está a tentar expandir o potencial de crise na Ásia-Pacífico. A linha do Ocidente no sentido de uma escalada constante com a Rússia representa um risco de conflito direto entre potências nucleares, que resultará em consequências catastróficas", disse Shoygu.

Corrida pelos mortos

Em Kiev, milhares de pessoas participaram numa corrida para lembrar os mortos na guerra, com cada corredor a usar um dorsal com a foto e o nome de alguém próximo vítima da guerra. Volodymyr, de 31 anos, perdeu uma perna nos combates e também participou: "Não voltarei a ver muitos dos meus camaradas, não voltarei a sentar-me com eles e a apertar-lhes a mão, mas ficam para sempre no meu coração", disse.

Já Tetiana, de 24 anos, participante na maratona, salienta o significado desta iniciativa: "É uma forma de mostrar o nosso apreço por todos aqueles que defendem e defenderam a Ucrânia, e de mostrar que não somos indiferentes ao que se está a passar neste momento", afirma.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Negociações de paz entre a Ucrânia e Rússia, sem a Rússia

Perdas de equipamento militar podem minar invasão da Rússia na Ucrânia

Sobe para 36 o número de mortos na Ucrânia após ataques russos que atingiram hospital pediátrico