Autoridades palestinianas pedem cessar-fogo para evacuar o hospital al-Shifa

Imagens da situação no hospital al-Shifa, na Faixa de Gaza
Imagens da situação no hospital al-Shifa, na Faixa de Gaza Direitos de autor -/AFP or licensors
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A falta de eletricidade obrigou os funcionários a enterrar, no pátio da unidade hospitalar, mais de 120 corpos que estavam na morgue.

PUBLICIDADE

As autoridades palestinianas apelaram, esta terça-feira, a um cessar-fogo para retirar mais de 30 recém-nascidos e outros pacientes do maior hospital de Gaza - al-Shifa - que, segundo o seu diretor, está transformado numa "vala comum".

A falta de eletricidade obrigou os funcionários a enterrar mais de 120 corpos, que estavam na morgue, no pátio da unidade hospitalar. Durante dias, o exército israelita cercou o Hospital  al Shifa onde, dizem, se escondem militantes do Hamas.

As forças israelitas, que dizem estar a expulsar e matar combatentes do Hamas, já controlam grande parte da cidade de Gaza e do norte do enclave palestiniano. O exército anunciava, também esta terça-feira, ter tomado o parlamento e outras instituições governamentais, dirigidas pelo Hamas, na cidade mais importante da Faixa de Gaza.

Do lado do Hamas, os ataques também prosseguem. Foguetes disparados a partir da Faixa de Gaza contra Israel fizeram dois feridos, no bairro de Jaffa, em Telavive.

A cidade assistiu esta terça-feira ao início de uma marcha que terminará em Jerusalém. Familiares dos reféns do Hamas vão caminhar até ao gabinete do primeiro-ministro israelita para exigir que sejam tomadas medidas. O presidente dos EUA, Joe Biden, mostrou-se, entretanto, confiante no regresso dos reféns a casa.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Maior hospital de Gaza sem eletricidade

Situação no maior hospital de Gaza é "terrível"

Segundo maior hospital de Gaza não está operacional. Israel quer reféns libertados até ao Ramadão