EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Quem é o próximo presidente da Argentina?

Javier Milei.
Javier Milei. Direitos de autor Euronews, AP
Direitos de autor Euronews, AP
De  Rory Elliott Armstrong com AP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Javier Milei chamou a si próprio "o rei da selva" e exibiu uma serra elétrica durante a sua campanha eleitoral.

PUBLICIDADE

Em apenas alguns anos, o populista de direita Javier Milei passou de um locutor de televisão que obtinha elevados índices de audiência com as suas explosões desenfreadas contra uma "casta política" que ele culpava pelos perenes problemas económicos da Argentina para um candidato à presidência.

O economista ultraliberal conseguiu o que outros não conseguiram: entrar no espaço dominante entre o peronismo do partido "Frente de Todos" e os seguidores do ex-presidente Mauricio Macri, representados pelo partido "Juntos por el Cambio".

Daí o seu lema: "Não vim para guiar cordeiros, vim para despertar leões".

A supporter of Javier Milei, Liberty Advances coalition presidential candidate, takes part in his closing campaign rally in Cordoba, Argentina, Thursday, Nov. 16, 2023.
A supporter of Javier Milei, Liberty Advances coalition presidential candidate, takes part in his closing campaign rally in Cordoba, Argentina, Thursday, Nov. 16, 2023.Nicolas Aguilera/Copyright 2023 The AP. All rights reserved

O seu apelo parece residir na capacidade de canalizar a raiva que os argentinos sentem contra a classe dirigente, num contexto de inflação de três dígitos e de aumento da pobreza. A inflação anual no país é de 140%, enquanto mais de 40% da população luta para ter dinheiro ao fim do mês.

"Ele fala como alguém da rua, como um de nós, por isso é tão popular", diz Rodrigo Agüera, um empregado de mesa argentino que vive em Barcelona.

"Sou a favor de uma mudança", diz ele, mas "temos de ver o que acontece depois disto, porque, no fim de contas, os políticos serão sempre políticos, dizem-nos uma coisa e depois fazem outra".

De apresentador de televisão a candidato presidencial

Antes visto como um espetáculo à parte na política argentina, Milei conseguiu transformar o seu sucesso como locutor em um assento na Câmara dos Deputados, a câmara baixa do Congresso argentino, em 2021.

Em seguida, lançou o que parecia ser uma candidatura presidencial de longo alcance, mas abalou o establishment político argentino quando recebeu o maior número de votos nas primárias de agosto, um concurso nacional visto como uma pesquisa massiva das preferências dos eleitores.

"Ele é uma pessoa que não entende o sistema político. Nem eleitoral nem executivo. Não tem experiência de governação de uma cidade ou de um município. Como é que esperamos que ele governe um país?", diz Candela Kantor, estudante de gestão cultural.

"Ele está rodeado de pessoas que quer colocar à frente de ministérios, pessoas que estão intimamente ligadas à pior crise da Argentina", acrescenta.

Javier Milei, Liberty Advances coalition presidential candidate, center, greets supporters during his closing campaign rally in Cordoba, Argentina, Thursday, Nov. 16, 2023.
Javier Milei, Liberty Advances coalition presidential candidate, center, greets supporters during his closing campaign rally in Cordoba, Argentina, Thursday, Nov. 16, 2023.Nicolas Aguilera/Copyright 2023 The AP. All rights reserved

Argentinos em busca de uma alternativa

O investigador Alan Ríos pensa que a parte da população que vota em Milei "não se vê refletida na narrativa atual, nem no kirchnerismo nem no macrismo".

"Viveram experiências com os dois tipos de governo e nada mudou. Na verdade, tudo piorou", explica.

Sim à autonomia do corpo, não ao aborto

Muitas vezes chamado de Donald Trump da Argentina, Milei adota uma mistura de amor pelos ideais do capitalismo com políticas socialmente conservadoras, incluindo uma oposição ao aborto, que a Argentina legalizou em 2020.

Por outro lado, é a favor da venda livre de armas de fogo e de órgãos humanos. "Porque é que tudo tem de ser regulado pelo Estado? A minha primeira propriedade é o meu corpo", afirma.

A introdução do dólar americano e o fecho do Banco Central são duas das medidas que promete, a par da privatização das empresas públicas estatais.

PUBLICIDADE

Alguns seguidores também usam adereços para imitar a serra elétrica que Milei tem frequentemente empunhado em comícios para simbolizar o que pretende fazer com as despesas do Estado. O economista e amante de cães tem sido claro ao afirmar que haverá cortes nas principais questões sociais, como saúde, educação e desenvolvimento social.

Segundo o professor de história Luis Klejzer, "ele é um perigo para a liberdade democrática e para os direitos humanos".

Presidential hopeful of the Liberty Advances coalition Javier Milei brandishes a chainsaw during a campaign event in La Plata, Argentina, Tuesday, Sept. 12, 2023.
Presidential hopeful of the Liberty Advances coalition Javier Milei brandishes a chainsaw during a campaign event in La Plata, Argentina, Tuesday, Sept. 12, 2023.Natacha Pisarenko/Copyright 2023 The AP. All rights reserved

Memória histórica em perigo

Outro ponto que tem gerado debate público é a vice de Milei, Victoria Villarruel.

Filha de militares, Villarruel tem sido criticada por questionar os crimes cometidos durante a ditadura militar que governou a Argentina de 1976 a 1983, que incluem a tortura e o desaparecimento de milhares de pessoas pelas forças de segurança.

PUBLICIDADE

"Há um grande setor da sociedade, as famílias dos militares, as pessoas dos círculos militares, as pessoas mais à direita, que estão todas envolvidas na política na Argentina e que até agora não tiveram o seu lugar de representação", explica Ríos.

"Portanto, Milei, ao vir aqui e reivindicar todas estas coisas, está também a dar abertamente um lugar a todas estas pessoas", acrescenta.

Agustin Salem holds an oversized US dollar bill with the face of presidential hopeful Javier Milei at a campaign rally in Buenos Aires, Argentina, Monday, Sept. 25, 2023.
Agustin Salem holds an oversized US dollar bill with the face of presidential hopeful Javier Milei at a campaign rally in Buenos Aires, Argentina, Monday, Sept. 25, 2023.Rodrigo Abd/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.

Segundo Luis Klejzer, a figura de Javier Milei "é capaz de canalizar todo o descontentamento que esta sociedade carrega. Especialmente entre os jovens", que, segundo ele, são muito afetados pela crise económica.

"Não vêem um futuro. Por isso, estão a tentar sair desta situação através da extrema-direita".

PUBLICIDADE
Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Manifestação contra Javier Milei reprimida pela polícia argentina

Argentinos voltam à rua para se manifestarem contra Milei

501 caixões e 200 sacos com cadáveres encontrados abandonados na Argentina