Destroços de drone abatido provocam incêndio e fazem um morto em Odessa

Guerra na Ucrânia aproxima-se da marca dos dois anos
Guerra na Ucrânia aproxima-se da marca dos dois anos Direitos de autor Jae C. Hong/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um homem morreu após os destroços de um drone russo terem atingido a sua casa na cidade portuária de Odessa.

PUBLICIDADE

Um homem morreu na madrugada desta segunda-feira após um ataque russo a Odessa, na Ucrânia.

O governador regional de Odessa revelou que os destroços de um drone russo, que foi abatido pelos ucranianos, caíram sobre uma casa da cidade e provocaram um incêndio que destruiu três edifícios residenciais e um armazém de equipamentos desportivos. A vítima mortal estava na habitação atingida pelos destroços.

RússiaUcrânia continuam a lançar dezenas de drones em território inimigo: os dois lados intensificaram os ataques com drones desde o mês passado, numa aparente tentativa de monstrarem que não estão num impasse à medida que a guerra se aproxima dos dois anos. 

No seu primeiro discurso de campanha antes de se candidatar novamente à presidência russa, em março, o presidente Vladimir Putin, prometeu fazer da Rússia uma potência "soberana e autossuficiente" diante do Ocidente. Putin também acusou o Ocidente de tentar sem sucesso "semear problemas internos" na Rússia.

Entretanto, na Polónia, realizou-se uma manifestação a pedir a libertação dos prisioneiros de guerra ucranianos, onde foram exibidos cartazes com mensagens como "ajudem os heróis da Ucrânia" e "as crianças ucranianas anseiam por um Natal sem guerra".

A manifestação foi coordenada por ucranianos residentes em Varsóvia e noutras cidades da Polónia, com o apoio de ativistas polacos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Casa Branca tem fundos para apenas mais um pacote de ajuda à Ucrânia em 2023

Drones ucranianos abatidos sobre a Crimeia

Putin garante que objetivos para a Ucrânia não mudaram e só haverá paz com a "desnazificação"