Guerra na Ucrânia: Rússia reforça exército, a ajuda dos EUA bloqueada, a Alemanha congela os fundos russos

O Presidente russo, Vladimir Putin, ao centro, o Chefe do Estado-Maior russo, General Valery Gerasimov, à esquerda, e o Ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, à direita.
O Presidente russo, Vladimir Putin, ao centro, o Chefe do Estado-Maior russo, General Valery Gerasimov, à esquerda, e o Ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, à direita. Direitos de autor Mikhail Klimentyev/Sputnik
De  Euronews com AP, AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

Todos os últimos desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia.

Putin aumenta a pressão militar sobre a Ucrânia

PUBLICIDADE

Depois de ter neutralizado a contraofensiva ucraniana do verão, a Rússia está a reunir os seus recursos para uma nova fase da guerra durante o inverno, que poderá envolver a tentativa de alargar os seus ganhos no Leste e desferir golpes significativos nas infra-estruturas vitais do país.

O Presidente russo, Vladimir Putin, parece esperar que a pressão militar implacável, combinada com a mudança da dinâmica política ocidental e a atenção mundial à guerra entre Israel e o Hamas, faça esvair o apoio à Ucrânia na guerra de quase dois anos e obrigue Kiev a ceder às exigências de Moscovo.

"No que diz respeito aos dirigentes russos, o confronto com o Ocidente atingiu um ponto de viragem: A contraofensiva ucraniana falhou, a Rússia está mais confiante do que nunca e as fissuras na solidariedade ocidental estão a alastrar", afirmou Tatiana Stanovaya, membro sénior do Centro Carnegie Rússia-Eurásia, numa análise recente.

Pacote de ajuda dos EUA à Ucrânia bloqueado

Um pacote de ajuda à Ucrânia está bloqueado no Congresso dos Estados Unidos, uma vez que os republicanos insistem em associar mais dinheiro a alterações na segurança da fronteira entre os Estados Unidos e o México, às quais os democratas se opõem.

Na semana passada, a União Europeia não chegou a acordo sobre um pacote de ajuda financeira de 54 mil milhões de dólares de que a Ucrânia necessita desesperadamente.

Mas os líderes do Senado disseram na terça-feira que tinham feito progressos nas negociações enquanto tentavam chegar a um acordo que poderia desbloquear o pacote de ajuda de 110 mil milhões de dólares de Biden para a Ucrânia, Israel e outras prioridades de segurança.

enate Majority Leader Chuck Schumer, D-N.Y., meets with reporters as White House and Senate negotiators struggle behind the scenes to reach a U.S. border security deal.
enate Majority Leader Chuck Schumer, D-N.Y., meets with reporters as White House and Senate negotiators struggle behind the scenes to reach a U.S. border security deal.J. Scott Applewhite/Copyright 2023 The AP. All rights reserved

Alemanha quer confiscar dinheiro russo congelado

As autoridades alemãs querem confiscar mais de 720 milhões de euros russos congelados na Alemanha como parte das sanções após a invasão russa da Ucrânia.

O Procurador-Geral da República declarou em comunicado, na quarta-feira, que tinha dado início a um processo num tribunal de Frankfurt, solicitando um "procedimento de confisco independente".

"O objetivo deste procedimento é confiscar mais de 720 milhões de euros depositados por uma instituição financeira russa numa conta bancária em Frankfurt, devido a uma alegada tentativa de violar o embargo", afirmou o Ministério Público num comunicado de imprensa.

Ataques russos ferem nove pessoas em Kherson

Vários drones russos atacaram Kiev na noite de terça-feira, pelo menos dois ataques visaram a cidade de Kharkiv, no oeste da Ucrânia, e nove pessoas ficaram feridas em bombardeamentos em Kherson, no sul do país, anunciaram as autoridades.

"Durante o bombardeamento de Kherson, esta noite, pelos ocupantes russos, nove pessoas ficaram feridas, incluindo quatro crianças" com idades compreendidas entre os dois e os treze anos, declarou o presidente da câmara da cidade, Roman Mrochko, no Telegram.

Vários drones explosivos "Shahed", de fabrico iraniano, foram também abatidos pela defesa aérea ucraniana quando se dirigiam para Kiev, de acordo com o chefe da administração militar da capital, Serhiï Popko.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Altas patentes ucranianas querem mobilizar mais meio milhão de soldados, diz Zelenskyy

O exército ucraniano tem falta de novos soldados para enviar para a linha da frente

Zelenskyy e primeira-dama prestam homenagem aos ucranianos mortos na Revolução da Dignidade