Grécia entra no programa espacial Artemis para estabelecer uma base na Lua

Imagem da Lua
Imagem da Lua Direitos de autor Michael Probst/Copyright 2020 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Atenas junta-se à lista de países que participam no acordo de cooperação internacional do programa lunar Artemis. Equipa grega espera aterrar na Lua em 2026.

PUBLICIDADE

Atenas está mais perto da lua. O ministro das Relações Exteriores grego, Giorgos Gerapetritis, assinou na sexta-feira em Washington os "Acordos de Ártemis", um acordo internacional sobre as regras gerais de exploração espacial e preparação para o retorno dos seres humanos à lua.

"Os acordos devem basear-se na responsabilidade coletiva, na prevenção de conflitos, na transparência e na compatibilidade tecnológica e em outras características que devem facilitar os projetos espaciais internacionais atuais e futuros, em primeiro lugar a exploração da Lua, Marte e outros corpos do sistema solar". A Grécia tornou-se o 35º país a assinar desde 2020.

O que é o programa Espacial Artemis?

Em particular, o programa "Artemis", que deu nome aos acordos, é um programa para estabelecer uma presença humana permanente na Lua. É uma missão liderada pelos Estados Unidos e baseada principalmente em hardware da NASA. 

A primeira nave espacial não tripulada em órbita lunar, a missão Artemis I, foi lançada em 2022, a primeira missão tripulada, Artemis II, estava prevista para 2024, mas segundo a Ansa, agência de notícias de Itália, foi adiada para setembro de 2025. A última fase da operação, a alunagem - Artemis III, está prevista para 2026.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Lançamento do foguetão lunar da Missão Artemis I adiado

Missão espacial privada pode voltar a levar os Estados Unidos à Lua mais de 50 anos depois

Astronauta russo passa mais de dois anos no espaço e estabelece novo recorde mundial