Russos prestam tributo a Navalny - mesmo arriscando a detenção

Russos prestam tributo a Navalny
Russos prestam tributo a Navalny Direitos de autor Dmitri Lovetsky/AP
Direitos de autor Dmitri Lovetsky/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Em várias cidades russas, muitos depositaram flores e velas em memória de Navalny, mesmo que as autoridades possam detê-los por estarem a participar em protestos anti-guerra.

PUBLICIDADE

Em várias localidades da Rússia, os residentes não quiseram deixar passar em branco a morte de Alexei Navalny e prestaram-lhe tributo depositando velas e flores ao lado de retratos do opositor russo.

Pequenos memoriais surgiram em várias cidades por toda a Federação Russa, ainda que aqueles que se atreveram a homenagear Navalny arrisquem prisão: poderão ser detidos por estarem em participar em protestos anti-guerra.

As autoridades prisionais da Federação Russa anunciaram esta sexta-feira a morte de Navalny, que alegadamente perdeu os sentidos depois de uma caminhada na colónia penal do Ártico russo para onde fora transferido no final do ano passado. 

Fora da Rússia, as manifestações de luto pela morte do opositor de Putin foram mais visíveis. Na capital da Estónia, muitos juntaram-se frente à embaixada de Moscovo e não esconderam as lágrimas nem a raiva pelo que consideram mais um homicídio do regime.

Na Áustria, apoiantes de Navalny no exílio reuniram-se num momento solene em memória do ativista junto da missão diplomática russa em Viena. 

Os momentos de homenagem repetiram-se noutros países europeus, onde Navalny era admirado pela coragem de fazer frente ao regime de Putin, mesmo que não tenha sido sempre uma figura consensual no seio da oposição russa.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Morte de Alexei Navalny provoca reação internacional

Rússia: Líderes das instituições da UE indignados com morte de Navalny

Detidos na Polónia dois suspeitos de ataque a aliado de Navalny na Lituânia