Rubiales investigado sobre contratos da Supertaça na Arábia Saudita

O presidente da Federação Espanhola de Futebol, Luis Rubiales, fala durante uma reunião geral de emergência em Las Rozas, sexta-feira, 25 de agosto de 2023.
O presidente da Federação Espanhola de Futebol, Luis Rubiales, fala durante uma reunião geral de emergência em Las Rozas, sexta-feira, 25 de agosto de 2023. Direitos de autor RFEF/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em espanhol

A Guardia Civil fez buscas na casa do antigo presidente da Real Federação Espanhola de Futebol em Granada, no âmbito da investigação sobre os contratos da Supertaça na Arábia Saudita. Mais concretamente, estão a investigar os contratos celebrados através da empresa Kosmos, de Gerard Piqué.

PUBLICIDADE

Luis Rubiales evitou um mandado de captura no âmbito da operação contra alegados contratos irregulares na Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF). A Guardia Civil efetuou buscas na casa do antigo presidente da RFEF em Granada, que escapou à detenção por se encontrar na República Dominicana, onde passa longos períodos de tempo e tem negócios.

A Guardia Civil fez estas buscas na quarta-feira, no âmbito da investigação sobre os contratos da Supertaça na Arábia Saudita.

Os investigadores sabiam que Rubiales estava fora de Espanha, pelo que o mandado de captura não foi emitido. Quando regressar, será notificado como arguido no processo.

Estão a ser investigados os contratos geridos pela empresa Kosmos, de Gerard Piqué.

Concretamente, estão a ser investigados os contratos para a celebração da Supertaça de Espanha na Arábia Saudita através da empresa Kosmos de Gerard Piqué, que teria recebido uma comissão de 24 milhões de euros. Não estão a ser feitas buscas em casas ou escritórios ligados ao antigo jogador do FC Barcelona.

As intervenções levadas a cabo pelos agentes ao longo da manhã de terça-feira inserem-se na análise de alegados atos criminosos associados a corrupção nos negócios, administração desleal e branqueamento de capitais.

Onze buscas, sete detidos e cinco pessoas sob investigação em toda a Espanha.

*A_Guardia Civil efectuou várias buscas na Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF). As operações consistiram na entrada e busca em 11 casas em diferentes províncias de Espanha, incluindo a de Rubiales.

Estas ações foram levadas a cabo sob a direção do Tribunal n.º 4 de Majadahonda, em coordenação com a Procuradoria Anticorrupção e a Unidade Operacional Central (UCO), e com o apoio da EUROPOL; ações que teriam resultado em sete detidos, entre os quais Pedro González, diretor dos Serviços Jurídicos da RFEF, e Tomás González Cueto, assessor jurídico da RFEF de Rubiales.

Tomás González Cueto e Pedro González, cérebros jurídicos de Rubiales na Federação, detidos

Tomás González Cueto, assessor jurídico de Luis Rubiales durante o seu mandato como presidente da Real Federação Espanhola de Futebol, e Pedro González Segura, atual diretor jurídico da RFEF, foram detidos no âmbito de um processo que analisa contratos irregulares desde 2018 até aos dias de hoje.

Já em outubro passado, as declarações da antiga executiva da RFEF Ana Muñoz no âmbito deste processo chamaram a atenção. Muñoz salientou na altura que a Federação poderia ter feito o contrato diretamente com a Arábia Saudita e que o organismo espanhol tinha "a possibilidade de o fazer sem necessidade de intermediários".

Uma operação supervisionada pelo Ministério Público Anticorrupção

A investigação surgiu em 2022 na sequência da queixa apresentada pela Associação Transparência e Democracia no Desporto, presidida por Miguel Ángel Galán, a 30 de maio de 2022. No âmbito desta investigação, foi aberta uma peça separada que conduziu às buscas e detenções na quarta-feira, 20 de março.

Na operação, que é supervisionada pelo Ministério Público Anticorrupção, foram detidas sete pessoas e outras cinco estão a ser investigadas, de acordo com fontes judiciais. Fontes da investigação indicam que entre a documentação solicitada está a relacionada com a celebração da Supertaça de Espanha na Arábia Saudita.

Rubiales demite-se após polémico beijo com Jenni Hermoso

Luis Rubiales demitiu-se do cargo de presidente da Federação Espanhola de Futebol em setembro de 2023, depois de ter sido acusado pelo Ministério Público do Tribunal Nacional de Espanha de agressão sexual e coação, na sequência de uma queixa apresentada por Jenni Hermoso.

O treinador da seleção feminina espanhola, Jorge Vilda, tinha sido demitido uma semana antes, quase um ano depois de uma rebelião de 15 jogadoras contra ele.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Luis Rubiales banido do futebol durante três anos

Europol identificou as 821 redes criminosas mais perigosas da Europa

Novo inimigo político de Orbán divulga alegadas provas de corrupção