EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Antony Blinken: "Ucrânia vai tornar-se membro da NATO”

Antony Blinken: "Ucrânia vai tornar-se membro da NATO”
Antony Blinken: "Ucrânia vai tornar-se membro da NATO” Direitos de autor George Ivanchenko/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor George Ivanchenko/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O secretário de Estado norte-americano afirmou que a “Ucrânia vai tornar-se membro da NATO” e que a Aliança não se considera diretamente envolvida na guerra. Kharkiv e a região ocupada de Kherson voltam a ser palco de ataques.

PUBLICIDADE

"A Ucrânia vai tornar-se membro da NATO. O nosso objetivo na cimeira é ajudar a construir uma ponte para essa adesão", afirmou o secretário de Estado norte-americano Anthony Blinken durante uma reunião com o seu homólogo ucraniano Dmytro Kuleba em Bruxelas, por ocasião da cimeira da NATO que assinalou o 75º aniversário da Aliança.

Stoltenberg: "A NATO não está diretamente envolvida na guerra”

Os membros da NATO elogiaram a determinação e a perseverança dos ucranianos e prometeram continuar a prestar ajuda ao país, segundo as agências internacionais. Ao mesmo tempo, o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, considerou necessário reiterar a sua posição de que a Aliança não se considera diretamente envolvida na guerra.

Na quinta-feira, os membros da NATO concordaram em procurar nas suas reservas mais sistemas de defesa aérea para a Ucrânia, que foram fortemente solicitados por Kiev. O presidente Volodymyr Zelensky tem aproveitado todas as oportunidades para recordar que "o reforço da defesa aérea é uma necessidade absoluta e urgente” e que está “grato” a todos os países e líderes que estão à procura de oportunidades para ajudar a Ucrânia.

Na madrugada de sexta-feira, foram registadas mais explosões em Kharkiv, na Ucrânia, depois de alegados ataques das forças russas terem morto quatro pessoas, na noite anterior, três das quais trabalhadoras de serviços de salvamento.

Kiev alega, segundo as agências internacionais, que as forças russas estão a utilizar a tática do "duplo ataque”, quando um míssil atinge o mesmo alvo duas vezes após um atraso, colocando em perigo as equipas de salvamento e os médicos que já se encontram no terreno após o primeiro ataque.

Quatro mortos na região ocupada de Kherson

Já a região ocupada pela Rússia de Kherson foi palco de novos ataques ucranianos, na quinta-feira, tendo quatro civis sido mortos, de acordo com as agências internacionais. Também na cidade de Kursk, no sul da Rússia, registaram-se várias explosões no final da tarde de quinta-feira.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

75 anos da NATO: o Tratado de Washington em exposição em Bruxelas

A maioria dos eleitores europeus é a favor da adesão da Ucrânia à UE, segundo uma sondagem exclusiva da IPSOS/Euronews

NATO planeia criar estruturas fortes para fornecer ajuda à Ucrânia a longo prazo