EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Polícia trata esfaqueamento de Sydney como "ato terrorista"

Crime deixou a população chocada e há quem procure justiça pelas próprias mãos
Crime deixou a população chocada e há quem procure justiça pelas próprias mãos Direitos de autor AP Photo/Mark Baker
Direitos de autor AP Photo/Mark Baker
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Jovem de 16 anos esfaqueou um bispo e um padre numa igreja ortodoxa, durante a missa.

PUBLICIDADE

Para a polícia australiana, o esfaqueamento de um bispo e um padre numa igreja ortodoxa de Sydney foi um ato terrorista e é assim que o caso está a ser tratado.

Entretanto, as autoridades pedem à população para não procurar justiça pelas próprias mãos, depois de uma multidão se ter juntado junto à Igreja Ortodoxa Assíria com tijolos e garrafas. Houve alguns confrontos com a polícia, que teve dificuldade em extrair o suspeito.

"O que influenciou a minha decisão de declarar este incidente como terrorista foram as ações do indivíduo, que alegamos ter ido à igreja armado com uma faca e esfaqueado o bispo, o padre e outras pessoas que também ficaram feridas. Acreditamos que há elementos que se enquadram no extremismo de motivação religiosa", disse Karen Webb, comissária da polícia de Nova Gales do Sul.

O suspeito é um jovem de 16 anos. Entrou na Igreja e esfaqueou o bispo e o padre junto ao altar, durante a missa. A congregação tentou depois detê-lo, tendo outras pessoas e o próprio suspeito ficado feridos.

O padre, o bispo e pelo menos dois polícias foram hospitalizados, mas nenhum corre risco de vida.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Austrália: cidadão francês que enfrentou atacante em Sydney torna-se residente permanente

Autor do ataque em Sydney "tinha problemas mentais e não era um terrorista", diz polícia australiana

Sete pessoas morreram após ataque com faca num centro comercial de Sydney