EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Novo relatório alerta para a possibilidade de fome generalizada no norte da Faixa de Gaza

Novo relatório alerta para a possibilidade de fome no norte de Gaza
Novo relatório alerta para a possibilidade de fome no norte de Gaza Direitos de autor Mahmoud Essa/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Mahmoud Essa/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Relatório não tem valor formal e não pode ser utilizado contra Israel em tribunal. Especialistas defendem que a guerra entre Israel e o Hamas está a impedir a recolha de dados sobre a fome na zona.

PUBLICIDADE

Um novo relatório redigido por um grupo independente de especialistas coloca a possibilidade de a fome generalizada estar a afetar o norte da Faixa de Gaza. Os especialistas referem que a guerra entre Israel e o Hamas, bem como as restrições ao acesso de ajuda humanitária, estão a impedir a recolha de dados que permita provar que a fome generalizada existe e, em consequência, emitir uma declaração formal.

“É possível, se não provável”, alertou o grupo de especialistas da Rede de Sistemas de Alerta Precoce contra a Fome, falando sobre a situação de fome generalizada na Faixa de Gaza, citado pela AP.

As preocupações com a falta de acesso a alimentos e a fome em Gaza têm vindo a crescer, especialmente desde que a diretora do Programa Alimentar Mundial referiu, no mês passado, que o norte de Gaza tinha entrado em “fome total” após quase sete meses de guerra. Os peritos da agência das Nações Unidas disseram mais tarde que Cindy McCain estava apenas a expressar uma opinião pessoal.

Financiada pela agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional, a Rede de Sistemas de Alerta Precoce contra a Fome é uma autoridade internacionalmente reconhecida em matéria de fome, que fornece informações de alerta precoce baseadas em provas sobre a insegurança alimentar.

De acordo com a Classificação Integrada de Fases de Segurança Alimentar, um conjunto de agências das Nações Unidas, governos e outros organismos consideram que uma zona está em situação de fome quando se verificam três pressupostos: 20% dos agregados familiares enfrentam uma grave escassez de alimentos ou estão a morrer de fome; pelo menos 30% das crianças sofrem de desnutrição aguda ou definhamento, o que significa que são demasiado magras para a sua altura; dois adultos ou quatro crianças, por cada 10.000 pessoas, morrem diariamente de fome ou de complicações associadas.

Israel nega que haja fome em Gaza

Israel tem negado repetidamente que haja fome em Gaza e tem rejeitado as alegações de que tem usado a recusa da entrega de alimentos como uma “arma” na guerra contra o Hamas. Uma declaração formal de fome poderia ser utilizada no Tribunal Penal Internacional, bem como no Tribunal Internacional de Justiça, onde Israel enfrenta acusações de genocídio.

Apesar da fome no norte de Gaza não ter sido oficialmente confirmada de acordo com o que exigem os padrões internacionais, os palestinianos no território enfrentam a carência de infraestruturas básicas, como sistemas de esgotos adequados ou de água potável.

EUA vão apresentar projeto de resolução à ONU

Os Estados Unidos vão apresentar um projeto de resoluçãono Conselho de Segurança da ONU para que as Nações Unidas declarem apoio ao acordo de cessar-fogo detalhado pelo presidente Biden na semana passada, apelando ainda ao Hamas para que o aceite.

Este projeto de resolução reitera ainda o empenho do Conselho de Segurança da ONU na solução de dois Estados e sublinha a importância de unificar a Faixa de Gaza e a Cisjordânia sob a administração da Autoridade Palestiniana.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

EUA pedem apoio do Conselho de Segurança da ONU a novo plano de cessar-fogo em Gaza

Israel diz que mais 4 reféns foram encontrados mortos em Gaza

EUA esperam resposta positiva de Israel sobre acordo de cessar-fogo e de reféns em Gaza