EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Moscovo diz que ataques ucranianos na Rússia e Crimeia fizeram seis mortos e mais de 100 feridos

Um trabalhador de resgate com um cão procura vítimas num edifício de apartamentos danificado após ter sido atingido por uma bomba aérea russa em Kharkiv, Ucrânia, sábado, 22 de junho de 2024.
Um trabalhador de resgate com um cão procura vítimas num edifício de apartamentos danificado após ter sido atingido por uma bomba aérea russa em Kharkiv, Ucrânia, sábado, 22 de junho de 2024. Direitos de autor Andrii Marienko/AP
Direitos de autor Andrii Marienko/AP
De  Euronews com AP
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

Ataque ucraniano faz seis vítimas mortais na Rússia e na Crimeia, após novo bombardeamento em Kharkiv ter feito pelo menos três mortos.

PUBLICIDADE

As autoridades russas afirmaram que seis pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas em ataques ucranianos com drones e mísseis, no domingo, depois de um bombardeamento aéreo russo em Kharkiv, no nordeste da Ucrânia, ter feito três vítimas mortais.

Entre os mortos, nos ataques em solo russo, estão cinco pessoas, incluindo duas crianças, que foram atingidas pela queda de destroços de mísseis ucranianos em Sebastopol, uma cidade portuária na Crimeia anexada à Rússia, disse Mikhail Razvozhayev, governador da cidade instalado em Moscovo.

A sexta pessoa morreu na cidade de Grayvoron, na região russa de Belgorod, que faz fronteira com a Ucrânia, disse o governador regional Vyacheslav Gladkov.

Razvozhayev disse que 151 pessoas ficaram feridas em Sebastopol. A queda de fragmentos de rockets provocou um incêndio florestal de mais de 150 metros quadrados que incendiou um edifício residencial, disse a RIA Novosti, referindo que um quinto míssil tinha explodido sobre a cidade.

O Ministério da Defesa da Rússia afirmou que tanto a Ucrânia como os EUA são "responsáveis por um ataque deliberado com mísseis contra civis". O Ministério da Defesa russo afirmou que foram utilizados mísseis ATACMS, fornecidos pelos EUA no ataque ucraniano.

Razvozhayev declarou segunda-feira um dia de luto em Sebastopol, com o cancelamento de eventos públicos.

As defesas aéreas russas abateram durante a noite 33 drones ucranianos sobre as regiões de Bryansk, Smolensk, Lipetsk e Tula, informou também o Ministério da Defesa russo no domingo. Não foram registadas vítimas ou danos.

Novos ataques em Kharkiv

Um novo ataque em Kharkiv matou pelo menos três pessoas no domingo, de acordo com as autoridades locais. O presidente da Câmara, Ihor Terekhov, afirmou que a cidade foi atacada por uma bomba guiada e que cerca de metade da população ficou sem eletricidade.

Num discurso em vídeo após o ataque, o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy instou os parceiros da Ucrânia a reforçarem as suas defesas aéreas.

"Os sistemas modernos de defesa aérea da Ucrânia - como os Patriots, a formação acelerada dos nossos pilotos de F-16 e, sobretudo, o alcance suficiente das nossas armas - são verdadeiramente necessários", afirmou.

Duas pessoas ficaram feridas pela queda de destroços quando dois mísseis russos foram abatidos sobre a região de Kiev durante a noite, disse o comandante da força aérea ucraniana, Mykola Oleschuk.

Destruído armazém russo com drones iranianos

A Marinha ucraniana divulgou no domingo fotografias que confirmam a destruição de um armazém na região de Krasnodar, no sul da Rússia, utilizado para lançar e armazenar drones Shahed de fabrico iraniano.

Os oficiais da Marinha disseram que instrutores de treino e cadetes foram mortos no ataque de sexta-feira à noite. Moscovo ainda não comentou a informação, mas as autoridades disseram que as defesas aéreas abateram uma série de drones na região durante a noite de sexta-feira.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rússia bombardeia zona civil em Kharkiv e deixa 14 edifícios destruídos

Ucrânia denuncia novo ataque russo contra infraestruturas energéticas

Tribunal russo ordena prisão da viúva de Alexei Navalny