EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Portugal ultrapassa China como maior exportador para Angola

Portugal ultrapassa China como maior exportador para Angola
Direitos de autor 
De  Francisco Marques
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os produtos portugueses representaram, em 2016, quase 15 por cento das compras angolanas ao estrangeiro, com a China a cair para os 12,5 por cento.

PUBLICIDADE

Portugal destronou a China e voltou a ser, no ano passado, o país que mais exporta para Angola.

De acordo com os dados do Instituto angolano de Estatística, após três anos de domínio chinês, Portugal conseguiu em 2016 uma quota de 14,89 por cento de todas as importações registadas em Angola, o que equivale a um volume de negócios de 342.517 milhões de kwanzas (1840 milhões de euros).

Por outro lado, a China viu as compras angolanas caírem 36 por cento de 2015 para 2016, ficando-se por 12,5 por cento das importações angolanas, com um volume de negócios de 253.884 kwanzas (1364 milhões de euros).

In the coming weeks, SergeRombi</a> explores Angola as it aims to decrease petrol-dependency & begin a new economic age <a href="https://t.co/mSWKd7qnCk">https://t.co/mSWKd7qnCk</a> <a href="https://t.co/DI2KRMu17b">pic.twitter.com/DI2KRMu17b</a></p>— euronews (euronews) 19 de junho de 2017

Em termos de exportações, Portugal é nono entre os clientes de Angola, com uma injeção de 153.536 milhões de kwanzas (830 milhões de euros) na economia angolana.

A China é, de longe, o país que mais compra a Angola, tendo fechado o ano passado com uma quota de 45 por cento. Essencialmente petróleo, a maior riqueza do país lusófono e que representa 93 por cento das vendas angolanas para o exterior.

Em termos globais, as receitas angolanas com exportações cifraram-se nos 4,8 mil milhões de kwanzas (25,9 mil milhões de euros), o que — incluindo reimportações e reexportações, adianta o Jornal de Angola — gerou no ano passado lucros de 2,8 mil milhões de kwanzas (15 mil milhões de euros), o dobro de 2015.

Think Hong Kong is expensive? Try Angola’s capital, Luanda https://t.co/2byTqsJdiVpic.twitter.com/h0XHWaWpr9

— Bloomberg (@business) 21 de junho de 2017

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Encontro para o diálogo económico UE-China em Pequim

Bruxelas contra-ataca: anunciadas tarifas sobre importações dos EUA

A reeleição de Trump poderá afetar a economia europeia em 150 mil milhões de euros