EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

ONU debate na China as possibilidades do turismo sustentável

ONU debate na China as possibilidades do turismo sustentável
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Vamos até à cidade chinesa conhecida pelo programa de proteção do panda gigante. Chengdu acolheu recentemente um encontro da ONU sobre turismo sustentável.

PUBLICIDADE

A cidade chinesa de Chengdu acolheu recentemente um encontro da ONU dedicado ao turismo sustentável e ao desenvolvimento. É naquela que é também a capital da província de Sichuan que se situa um dos principais centros de investigação com a missão de proteger os pandas gigantes.

O programa de conservação contribuiu fortemente para a retirada desta espécie da lista dos animais em risco de extinção. Nos últimos três anos nasceram quase 50 crias.

É um cenário que ilustra a questão debatida aqui pela Organização Mundial de Turismo, uma agência da ONU: como tornar precisamente o turismo num veículo de desenvolvimento e, ao mesmo tempo, respeitar o ambiente e as populações locais?

Os representantes dos mais de 130 países aprofundaram uma premissa premente: o fenómeno do turismo deve beneficiar todas as partes envolvidas.

Join other responsible travellers who #TravelEnjoyRespect and take the pledge now! click here ➡️ https://t.co/bIzCRC4zYC#WTD2017pic.twitter.com/ZrMQ5vX088

— UNWTO (@UNWTO) 20 September 2017

“A sustentabilidade destina-se a garantir as condições de vida das gerações futuras. Nenhuma sociedade responsável pode esquecer esta questão. É o amanhã que está em causa. Se não fizermos nada hoje, o futuro está perdido”, declara Taleb Rifai, secretário-geral da Organização Mundial de Turismo.

A luta contra a pobreza é outra das vertentes abordadas, como salientou Rogers Valencia Espinoza, o vice-ministro do Turismo do Peru: “É uma atividade que tem de integrar as populações locais e ajudar a combater a pobreza. A nossa taxa de pobreza é de 30%. Tem de haver um forte componente ambiental e, ao mesmo tempo, constituir uma oportunidade para oferecer produtos de qualidade aos turistas estrangeiros”.

“No Gana, o turismo está centralizado. É uma atividade que se coaduna com o desenvolvimento sustentável, é uma ferramenta nesse sentido. É um fator chave para eliminar a pobreza e incentivar a educação”, apontou Catherine Abelema Afeku, ministra do Turismo ganesa.

A China é o quarto país mais visitado do mundo. A cidade de Chengdu lançou um programa integrado de desenvolvimento chamado Turismo Plus. “Há vários exemplos: o turismo aliado a cuidados de saúde e à reabilitação; ao desporto; à construção ecológica; à cultura”, realça Duo Yang Na Mu, do gabinete de turismo de Chengdu.

E há um outro exemplo: o de Portugal e do programa de recuperação de património nacional envolvendo privados. Para Ana Mendes Godinho, a secretária de Estado do Turismo portuguesa, “tem sido inacreditável perceber a dinâmica imprimida pelas populações locais para apresentar projetos que pegam na identidade da sua região, dos seus produtos, e os transformam em produtos turísticos”.

Já o Japão avança com a ideia de utilizar o turismo como forma de promover o contacto entre os visitantes e os residentes mais idosos. “As pessoas podem manter o seu estilo de vida de maneira sustentável através da interação com pessoas de fora, do diálogo e de diferentes formas de comunicação”, aponta Mamoru Kobori, da organização nipónica de turismo.

A Organização Mundial do Comércio implementou um código de ética. Mas muitos pedem uma convenção internacional abrangente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Presidente do Azerbaijão apela que países petrolíferos paguem para resolver problemas climáticos

O fórum intercultural de Baku visa promover o respeito e a compreensão através do diálogo

Paz e segurança global no topo da agenda do Fórum Mundial sobre o Diálogo Intercultural