EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Facebook admite que 2,7 milhões de europeus possam ter sido afetados

Facebook admite que 2,7 milhões de europeus possam ter sido afetados
Direitos de autor  REUTERS/Dado Ruvic/Illustration/File photo
Direitos de autor  REUTERS/Dado Ruvic/Illustration/File photo
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os dados de milhões de cidadãos podem ter sido transmitidos "de forma imprópria" à empresa britânica Cambridge Analytica.

PUBLICIDADE

O Facebook confirmou, à Comissão Europeia, que os dados de cerca de dois milhões e setecentos mil utilizadores europeus, ou de pessoas a residir na União, possam ter sido transmitidos de "forma imprópria" à empresa britânica Cambridge Analytica.

A resposta do gigante da internet surgiu após a um pedido de esclarecimentos efetuado na semana passada por Bruxelas.

Segundo o porta-voz da Comissão Europeia, Christian Wigand, "isto vai exigir mais discussões de acompanhamento com o Facebook sobre as mudanças implementadas. Também no contexto das já mencionadas novas regras europeias de proteção de dados e das questões mais amplas sobre o processo democrático. Haverá um telefonema entre a comissária Jourova e a diretora de operações do Facebook, Sheryl Sandberg, no início da próxima semana. "

Bruxelas informou, ainda, que a empresa de Mark Zuckerberg garantiu ter tomado medidas para prevenir mais casos semelhantes.

A Comissão Europeia asseverou estar a promover os valores europeus "de proteção de dados" à escala global. Para isso, estabeleceu um acordo de privacidade com os Estados Unidos da América. Estão, também, a decorrer negociações com o Japão e a Coreia do Sul.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alternativa ao lítio: Pode o manganésio substituir as baterias de lítio dos veículos elétricos?

Banco Central Europeu corta taxas de juro em linha com as expetativas do mercado

Riqueza das nações: o fosso cada vez maior entre ricos e pobres na Europa