Amazon adia "Black Friday" em França

Amazon adia "Black Friday" em França
Direitos de autor David Vincent/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Governo francês apelou a cadeias de supermercados e plataformas de venda online para não penalizar pequenos comércios fechados durante o segundo confinamento no país

PUBLICIDADE

O gigante das vendas "online" Amazon concordou em adiar as promoções da já famosa "Black Friday" em França.

O anúncio foi feito através do Twitter, onde a empresa explicou que se juntaria à iniciativa de outros comércios pela internet, adiando o evento comercial da data inicialmente prevista de 27 de novembro, para o dia 4 de dezembro.

A Amazon responde assim aos esforços do governo francês, que tem apelado às cadeias de supermercados e plataformas de venda "online" para atrasarem os descontos da "Black Friday" de forma a não penalizar os comércios tradicionais, atualmente fechados devido ao segundo confinamento em vigor no país, pelo menos até ao próximo dia 1 de dezembro.

Numa petição dirigida ao próprio Pai Natal, figuras políticas e culturais francesas, bem como organizações ambientais e sindicatos apelam a um "Natal sem Amazon", pedindo aos consumidores para "não comprarem as prendas" através do gigante "online".

Marie-Claude Lambert, reformada dos correios:"O problema que temos é que a Amazon representa uma concorrência desleal com os pequenos comércios, que irão pagar caro com a presença da Amazon no setor."

Com os efeitos do segundo confinamento a fazerem-se finalmente sentir na redução do número diário de novos casos de Covid-19, o executivo francês está a ser pressionado para autorizar a reabertura dos comércios considerados "não essenciais" a pouco mais de um mês do Natal.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mercedes-Benz recolhe 250 000 veículos devido a risco de incêndio

Uber Eats altera anúncio polémico da Super Bowl por brincar com alergias alimentares

Quem ultrapassou Elon Musk como a pessoa mais rica do mundo?