EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

China é o maior mercado de importação de bens para o Reino Unido

China é o maior mercado de importação de bens para o Reino Unido
Direitos de autor Ng Han Guan/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Ng Han Guan/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

China é o maior mercado de importação de bens para o Reino Unido. É a primeira vez que a Alemanha abandona a primeira posição desde o início dos registos

PUBLICIDADE

A China ultrapassou a Alemanha tornando-se no primeiro mercado de importação de bens para o Reino Unido.

A mudança deve-se à saída do Reino Unido da União Europeia mas também ao aumento da procura de produtos chineses em resultado da pandemia.

O relatório do Instituto Nacional de Estatística britânico (ONS) é uma avaliação do impacto do Brexit e da pandemia no comércio de bens para o Reino Unido.

Segundo o documento, desde o início de 2018 que os bens importados da China aumentaram 66%.

A importação de produtos da Alemanha caiu um quarto (25%) ou o equivalente a cerca de 15 mil milhões de euros durante o mesmo período.

O relatório identificou perturbações nas trocas comerciais no início da nova relação entre o Reino UNido e a UE.

O documento afirma que as exportações alemãs para o Reino Unido entraram em queda a partir de abril de 2019 devido à incerteza sobre as condições de saída da União Europeia.

O setor automóvel alemão sentiu igualmente o impacto da pandemia tanto em termos de produção como exportação global.

No Reino Unido, a procura de novos veículos caiu devido ao encerramento dos concessionários e às medidas de confinamento.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Reino Unido estuda viabilidade de "Britcoin"

Bruxelas acusa Reino Unido de infração do acordo do Brexit

Produtores de champanhe votam a favor de colheitas mais pequenas, com vendas em queda