EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

World Travel Center debate conceito de "excesso de turismo"

World Travel Center debate conceito de "excesso de turismo"
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Damon Emblingeuronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O World Travel Market reuniu milhares de pessoas, em Londres, para debater as últimas tendências da indústria do turismo e das viagens

PUBLICIDADE

O encontro anual World Travel Market foi uma oportunidade para fazer negócios e debater o futuro do setor depois da pandemia de covid 19.

"As viagens de lazer estão apenas 10% abaixo dos níveis de 2019. Mas é importante lembrar que em 2019 se atingiu pico. O número de viagens registado este ano só foi ultrapassado em três anos ao longo da história", frisou Dave Goodger, diretor do EMEA.

O impacto do calor e dos incêndios

Uma recuperação que ocorre num contexto difícil marcado por incertezas económicas e geopolíticas e após um verão com temperaturas elevadas e incêndios devastadores em países como a Grécia.

"Em relação ao turismo, diria que o maior desafio para o futuro, a longo prazo, é a crise climática. A Grécia tem um plano específico até 2030 para alcançar a sustentabilidade ambiental, enfrentar as consequências das alterações climáticas e adaptar-se à nova era", disse Dimitris Frangakis, secretário-geral da Organização Nacional de Turismo da Grécia.

Cidade espanhola de Valência: Capital Verde Europeia 2024

Valência aposta nas praias, na beleza natural e na história para atrair turistas. A cidade espanhola investe no turismo sustentável e foi nomeada Capital Verde Europeia 2024.

"A antiga nascente do rio é agora uma grande área verde, uma grande avenida verde. Estamos a trabalhar arduamente nos transportes públicos. É muito importante para nós. Para as novas tecnologias energéticas. Não apenas por um ano, mas para o resto das nossas vidas", frisou Carlos Mazón Guixot, Presidente do Governo da Região de Valência.

Veneza impõe limites ao turismo

Um dos aspetos da sustentabilidade é tentar limitar o número de viajantes. Por exemplo, Veneza planeia impor um imposto de cinco euros para combater o turismo excessivo.

A responsável da Direção de Turismo da Croácia considera que é importante começar a refletir sobre a questão do excesso de turismo.

"Não podemos usar a expressão excesso de turismo, à exceção de algumas cidades como Dubrovnik. Enquanto país, ainda não adoptámos medidas específicas. Mas agora é a altura certa para as autoridades locais e para os decisores começarem a pensar no assunto. É importante porque queremos preservar o nosso país tal como ele é atualmente", afirmou Martina Srnec, responsável da Direção Nacional de Turismo da Croácia.

Martina Srnec, Responsável do Turismo da Croácia
Martina Srnec, Responsável do Turismo da CroáciaEuronews

Tailândia quer diversificar oferta

Para a Tailândia,  a questão da sustentabilidade do turismo implica uma abordagem baseada na qualidade: O país quer diminuir o número de pessoas nos destinos tradicionais e aumentar as visitas em locais menos conhecidos.

"Estamos mais concentrados na questão do valor, do dinheiro que os turistas gastam na Tailândia. Queremos diminuir a concentraçao de turistas. É importante ligar os turistas à comunidade local, propor outros destinos no país. É assim que estamos a avançar", contou Siripakorn Cheawsamoot, Vice-Governador da Autoridade do Turismo da Tailândia.

A tendência das estadias longas

De acordo com um estudo do World Travel Market, os mais jovens valorizam as experiências e a realização de desejos. Uma das novas tendências são as estadias mais longas.

"Com a consciência ambiental, surgem as chamadas férias lentas. Férias mais longas, com objetivos diferentes, menos banhos de sol, mais experiências.", disse Vasyl Zhygalo, responsável do World Travel Market.

Marrocos aposta no turismo de experiência

Marrocos é um dos país dos países que apostam no conceito de turismo de experiências. Quer atrair 26 milhões de turistas por ano até 2030, praticamente o dobro deste ano.

"As pessoas procuram viver experiências autênticas. Querem estar em contacto com a natureza, saborear a gastronomia local e conhecer as comunidades locais. Procuram o ar livre: experiências na natureza, longas caminhadas e as montanhas", frisou Fatim-Zahra Ammor, Ministra do Turismo de Marrocos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

A indústria global de viagens procura oportunidades na feira anual em Londres

Quais são os principais destinos sustentáveis da Europa para 2024

Do Vale do Loire à Lapónia: Os melhores locais da Europa para apreciar as coloridas folhas de outono