This content is not available in your region

Bewarket conquista "like" de Braga 2012

Bewarket conquista "like" de Braga 2012
De  Euronews

É um projeto “made in Portugal” com a possibilidade de chegar aos quatro cantos do planeta à velocidade de uns quantos cliques. Chama-se Bewarket e é “uma espécie de eBay onde podemos comprar e vender dentro do Facebook”. A apresentação é feita por Marco Barbosa, um dos fundadores do projeto.
 
Trata-se de uma aplicação em que os utilizadores podem comprar, doar, vender ou revender produtos aos seus “amigos”, os quais convidam os próprios “amigos” a aceitar a aplicação e a alargar o alcance geográfico do Bewarket. Marco dá o exemplo: “Quero comprar um ipad. Posso ‘seguir’ um ipad e sempre que há uma nova revisão eu sou notificado. Posso perguntar a um amigo o que acha desse ipad e ele pode pedir a um amigo para me vender o seu ipad, ficando com uma percentagem da venda.”
 
A Capital Europeia da Juventude foi a primeira a clicar “Like” e a colocar produtos online. “Braga é das cidades portuguesas com mais raízes tecnológicas e mais estruturas de apoio ao empreendedorismo jovem. Prova disso é o apoio na divulgação do projeto”, explica Rui Ramos, o outro fundador do Bewarket.
 
São três ao todo, Marco, Rui e Miguel, três jovens empreendedores que decidiram apostar no Facebook e “postar” uma nova aplicação no “perfil” da rede social. Mas não se pense que o Bewarket surgiu de um simples “chat” a horas tardias…
 
O conceito de “social commerce” foi desenvolvido por Marco durante a sua tese de mestrado sobre o comércio eletrónico. Depois, foi à procura de parceiros que acreditaram no projeto. Razões não faltam, assegura o co-fundador Rui Ramos: “É uma plataforma mundial que pode ser utilizada em todos os países onde o Facebook estiver presente. Temos planos de negócios e estudos económicos que nos permitem ver que o projeto é viável”. Por enquanto, Portugal é o país onde há mais utilizadores, mas o Brasil também se destaca.
 
Marco preferiu arriscar no próprio projeto do que se arriscar a engrossar as longas listas de desempregados recém-licenciados. “Temos que ser empreendedores todos os dias devido às dificuldades económicas”, alerta Carlos Joel Pereira do Conselho de Administração da Fundação Bracara Augusta, encarregue da organização do Braga 2012: Capital Europeia da Juventude.
 
O empreendedorismo é um dos grandes eixos da Capital Europeia da Juventude, que está a organizar vários workshops para desmistificar a palavra “empreendedor”. “Não se pense que ser empreendedor significa apenas criar o próprio negócio”, avisa o responsável. “Podemos ser empreendedores dentro de uma empresa que nos recrutou, sermos colaboradores, termos propostas de valor para a empresa”.
 
Braga quer abrir as portas a todos e convida os jovens desempregados a participar: “O empreendedorismo é, essencialmente, para os jovens desempregados porque somos a geração mais bem preparada de sempre: a geração mais tecnológica, mais avançada e com mais qualificações”, remata.